Do Mais Goiás

MP apura irregularidades na venda de testes para covid-19 em Goiás

Ao todo 81 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Goiás, outros seis estados e no Distrito Federal. Em Goiânia, duas empresas foram alvo das equipes

Gaeco realiza busca e apreensão após investigação de testes rápidos para covid-19 (Foto: CI/ Gaeco MP-GO)
Gaeco realiza busca e apreensão após investigação de testes rápidos para covid-19 (Foto: CI/ Gaeco MP-GO)

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) investiga irregularidades na compra de testes rápidos de covid-19 em Goiás, outros seis estados e no Distrito Federal. Segundo as investigações, existem fortes indícios de superfaturamento na aquisição dos insumos. As investigações ainda reúnem evidências de que testes com defeitos foram comercializados.

Em Goiânia, duas empresas, situadas respectivamente no Jardim América e no Setor Santa Genoveva, foram alvos de busca e apreensão. Ainda não há detalhes sobre o envolvimento delas nas supostas irregularidades. Houve buscas também em Formosa, no Entorno do Distrito Federal.

Ao todo, foram cumpridos 81 mandados em Goiás, DF, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Bahia e Espírito Santo.

O Mais Goiás tenta contato com as mencionadas empresas.

Registro da presença do Gaeco no Lacen-DF (Foto: reprodução/Internet)

Registro da presença do Gaeco no Lacen-DF (Foto: reprodução/Internet)

Evidências

Ministério Público encontrou evidências de que marcas adquiridas seriam imprestáveis para a detecção eficiente do covid-19 ou de baixa qualidade para detecção do vírus.

O somatório do valor das dispensas de licitação sob investigação supera o valor de R$ 73 milhões. O processo corre em sigilo.

Entre os supostos crimes investigados estão fraude em licitação, crime contra a ordem econômica, corrução ativa e passiva.

Nota

Alvo das investigações, a empresa Supermédica Distribuidora Hospitalar se manifestou por meio de nota. Leia a íntegra a seguir:

“A Supermédica Distribuidora Hospitalar vem através desta, em razão da Operação Falso Negativo que investiga possíveis irregularidades na compra de testes para Covid-19 deflagrada em Goiás, no Distrito Federal e em mais seis estados do país, participamos de uma cotação de uma dispensa de licitação , intermediado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal, o teste entregue é de responsabilidade total da indústria que o produz, a Supermédica presta o serviço de distribuição e não foi vendido nenhum teste para o órgão citado.

Neste dia 02 de julho, recebemos os agentes da GRAECO/MPDFT , requerendo documentos relacionados a essa cotação de testes, no qual nos disponibilizamos 100% para a cooperação da operação em curso e que ressaltamos que não foi encontrado ou apreendido absolutamente nada que pudesse comprometer a nossa ilibada reputação de 16 anos de mercado.

Afirmamos que, sempre trabalhamos com seriedade e transparência, obedecendo a Legislação vigente quanto à participação em processos de licitação em todo o país, buscando sempre o bem coletivo, levando produtos de qualidade e trabalhando sempre com honestidade.

Afirmamos ainda que não houve nenhuma compactuação da Supermédica com nenhuma das empresas citadas na investigação. E, a exemplo do que sempre fizemos, continuaremos prestando todas as informações requeridas pelos Órgãos fiscalizadores, bem como à população, a fim de esclarecer de forma transparente todos os atos por nós praticados.

Diretoria, 02 de julho de 2020.
SUPERMÉDICA DISTRIBUIDORA HOSPITALAR”