PROTESTO

Movimentos sociais promovem manifestação em defesa do serviço público na Praça Cívica nesta quarta

Organização afirma que o governo federal faz pouco caso da pandemia do coronavírus e que ataca os servidores públicos


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 26/05/2020 às 20:26:08

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Sindicatos e movimentos sociais estão organizando uma manifestação no centro de Goiânia em defesa do serviço público, da vida e contra o que alegam ser ataques do governo federal aos servidores públicos. Os manifestantes irão se concentrar a partir das 9 horas desta quarta-feira (27) na Praça Cívica, no centro de Goiânia, e de lá devem partir para a entrada do Palácio Pedro Ludovico.

O ato é organizado pelo Fórum Goiano em Defesa dos Direitos, da Democracia e da Soberania. O objetivo de acordo com a organização, é alertar a população sobre a importância do serviço público no enfrentamento à pandemia.

O coordenador geral do Fórum, João Pires Júnior, ressaltou que todas as medidas de segurança serão tomadas para evitar a aglomeração de pessoas. Ele afirmou ainda que é preciso defender a vida diante de um governo que não se compromete com o combate à pandemia.

“O ato será realizado na Praça Cívica porque é um lugar amplo, para evitar que as pessoas fiquem juntas. Também distribuiremos máscaras para todos os presentes. Nosso objetivo é defender o SUS e a vida. O governo federal está fazendo pouco caso do coronavírus e isso vai custar a vida de muitas pessoas”, ressaltou.

O coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Admnistrativos em Educação das Instiuições Federais de Ensino Superior (SINT-IFESgo), Fernando Mota, afirmou que o governo federal não tem demonstrado qualquer preocupação com a pandemia

“Nós estamos na linha de frente no combate ao coronavírus, seja no Hospital das Clínicas, seja coletando dados e produzindo equipamentos e insumos. Mas temos um presidente que não está nem aí para a pandemia. O vídeo da reunião ministerial mostra isso. Iremos arriscar nossas vidas novamente indo às ruas para defender o serviço público”, ressaltou.