Ação criminal

Motorista que atropelou e matou idoso em Goiânia é denunciado por homicídio

O homem de 70 anos morreu dias depois em consequência de politraumatismo.





//

O promotor de Justiça Maurício Gonçalves de Camargo ofereceu denúncia criminal contra Lucas Fraga Sabino pelo crime de homicídio, em razão da morte do idoso Celso Bueno de Oliveira, decorrente de atropelamento. O MP apontou dolo eventual no caso, por ter o motorista assumido o risca de causar a morte.

Conforme apurado em inquérito policial, por volta das 19h30 do dia 1° de maio de 2015, Lucas dirigia seu carro em alta velocidade e em estado de embriaguez, quando atropelou o idoso, que caminhava na calçada. O homem de 70 anos morreu dias depois em consequência de politraumatismo.

Nesta data, de acordo com a denúncia, Lucas almoçou com a amigos em um restaurante de Goiânia, ocasião em que ingeriram bebida alcoólica. Depois, viajaram para Anápolis e ingeriram mais bebida, retornando à capital no final da tarde. Tanto na ida quanto na volta foi uma terceira pessoa, que não havia bebido, quem dirigiu o veículo. Chegando em Goiânia, passaram no lavajato de Lucas e, a partir, daí ele assumiu a direção de um outro carro, enquanto o amigo seguiu no dele.

ACIDENTE

Os dois carros seguiram pela Avenida T-9, sentido Setor Bueno – Jardim América, sendo que Lucas corria bastante e fazia zigue-zague para ultrapassar os carros que trafegavam no mesmo sentido. Próximo ao cruzamento com a T-3, ele perdeu a direção do veículo, que passou a derrapar, subindo a guia do meio-fio e calçada do Clube Oásis, momento em que ocorreu o primeiro impacto e que atingiu o idoso.

O carro continuou a efetuar o giro no sentido horário e colidiu novamente com o muro, desta vez com a porção traseira esquerda, retornando para a faixa de rolamento até parar. Embora a velocidade máxima permitida no local seja de 60 km/h, a velocidade imprimida por Lucas era de cerca de 120 km/h. Teste do bafômetro realizado no motorista apontou 0,78mg/L.

O idoso, ao ser colhido pelo veículo, teve o pé esquerdo decepado. Ele foi levado para o hospital com politraumatismo, teve a coxa esquerda amputada, permanecendo internado por quase um mês. Celso morreu na madrugada do dia 25 para 26 de maio.

Tópicos