Motorista de ônibus que sofreu atentado em Anápolis tem quadro clínico grave, diz HEANA

O homem sofreu queimaduras de 2º e 3º grau. A autora, de 37 anos, foi presa em flagrante pela Polícia Militar

Ônibus estava parado no box do Terminal Urbano quando o crime ocorreu. (Foto: Captura)

O motorista de ônibus que sofreu atentado em Anápolis tem quadro clínico grave. A informação é do Hospital Estadual de Urgências de Anápolis (Heana). O condutor da empresa Urban sofreu tentativa de homicídio dentro do ônibus do transporte coletivo que dirigia, no Terminal Urbano, nesta quarta-feira (1º).

Walison Barbosa dos Santos, sofreu queimaduras de 2º e 3º grau. Segundo a equipe médica, ele ficou com aproximadamente 80% do corpo queimado.

O caso aconteceu depois que a suspeita, de 37 anos, jogou um líquido sobre o motorista e ateou fogo na sequência. Inicialmente o homem foi socorrido por populares, que utilizaram extintores de incêndio para apagar as chamas.

Vídeo feito pelo circuito interno de segurança do terminal registrou o momento em que as chamas tiveram início na cabine do motorista.

Testemunha do caso, usuário do transporte coletivo Washington Rodrigo afirmou ao Mais Goiás que motorista e autora tiveram uma discussão momentos antes do atentado.

“Eu tinha acabado de chegar no terminal quando escutei uma explosão e uma gritaria, depois começou uma correria, quando consegui ver o ônibus estava pegando fogo e vi o motorista incendiado tentando retirar as roupas”, disse.

Motorista estava na cabine quando foi alvo das chamas. (Foto: Reprodução)

Prisão em Flagrante 

A autora foi presa por policiais da Companhia de Policiamento Especializado (CPE). Na Central de Flagrantes ela foi autuada por tentativa de homicídio.

A real motivação do crime será apurada pela Polícia Civil.

* Contribuíram nesta reportagem: Thayza Marins, e Weber Witt