Artes plásticas

Mostras Individuais Simultâneas seguem em cartaz no Centro Cultural Octo Marques

Exposições ficam abertas à visitação de segunda a sexta-feira, das 9 às 12, e das 13 às 17 horas, com entrada gratuita


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 24/01/2019 às 12:30:21

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

As exposições Individuais Simultâneas, dos artistas plásticos Fernanda Pacca e Marlan Cotrin, seguem em cartaz até o dia 1º de fevereiro, nas galerias de arte Frei Nazareno Confaloni e Sebastião dos Reis, do Centro Cultural Octo Marques. As mostras ficam abertas à visitação de segunda a sexta-feira, das 9 às 12, e das 13 às 17 horas, com entrada gratuita.

A concepção e curadoria das exposições são da produtora Katia Barreto, que buscou artistas cujas obras conversassem entre si, para serem colocadas uma ao lado da outra com obras e instalações aéreas, criando um link estético e resultando nas individuais de Marlan e Fernanda.

As tapeçarias, bordados, peças e instalações de Marlan Cotrim causam deslumbre. Sua matéria prima são os fios, as linhas, tecidos, retalhos, gazes, material abandonado que descostura, desfaz e refaz, buscando a textura ideal, o contato perfeito, o calor e aconchego. Performático, promove instalações com objetos, cadeiras e luminárias para permitir a participação do expectador. Suas tapeçarias são ousadas, com traços especiais e cores formando uma composição fina e de ricas nuances, principalmente com texturas diferenciadas.

Marlan Cotrin foi bailarino por dez anos quando resolveu mudar sua atuação para a moda, trabalhar com figurino e maquilagem. No entanto, seu corpo continuava ativo e reclamava o exercício do tato. A arte de tecer faz parte de seu estar no mundo, da sua forma de reunir, reconstruir, desmanchar e refazer, construindo a sua história e se juntando com outras diversas histórias, tecendo sempre outros enredos e narrativas, em novas criações e universos.

Já as obras de Fernanda Pacca, feitas de materiais inusitados, despertam a curiosidade do visitante. Fernanda é brasiliense e mora em Pirenópolis desde 2016, onde tem uma galeria de arte. Odontóloga de profissão, ela resolveu migrar para arte, produzindo trabalhos que dialogam entre si e com o espectador, encontrando nas linhas de costura a forma de desvendar o novo ainda misterioso, marcado por luzes e tons entrelaçados como que a retendo às bordas do quadro.

Em suas criações, como no quadro ‘Criatura I’, é possível ver a artista surgindo com seus olhos despertos, bem abertos, olhar que vê e se coloca à vista de todos. Em Criatura II, ela se afasta do primeiro plano e dá lugar para as suas mãos abertas, gigantes, fortes e decididas.

O Centro Cultural Octo Marques é uma unidade da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), e funciona no Edifício Parthenon Center, na Rua 4, Centro.