Do Mais Goiás

Morte de macaco no Parque Areião é investigada pela prefeitura de Goiânia

Animal foi encontrado morto próximo à pista de caminhada por um pedestre

Macaco morto no Parque Areião (Foto: Reprodução/TVAnhanguera)
Macaco morto no Parque Areião (Foto: Reprodução/TVAnhanguera)

A causa da morte de um macaco no Parque Areião, em Goiânia, está sendo investigada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). De acordo com a pasta, exames para detecção de febre amarela e outras viroses devem ser feitos no animal.

O macaco foi encontrado sem vida próximo à pista de caminhada do parque na última terça-feira (1º). Uma pessoa que passava pelo local acionou o órgão da prefeitura sobre o caso assim que avistou o animal morto.

Segundo a SMS, a necrópsia do animal já havia sido feita pela Diretoria de Zoonoses e o material biológico do macaco deve ser encaminhado à Universidade de Brasília (UnB) para a realização dos exames, os resultados devem ficar prontos na próxima semana.

Número de casos

Entre setembro de 2020 e janeiro de 2021, a capital registrou a morte de dez macacos por Febre marela. Os casos foram registrados em cinco regiões da capital, Oeste, Leste, Sudoeste, Sul e

Na ocasião, a SMS declarou que a morte dos animais era um indicador de que o vírus estava circulando na capital e reforçou a necessidade de vacinação contra a doença.

A pasta ainda afirmou que os macacos são vítimas da febre amarela tanto quanto as pessoas que não são vacinadas. Ressaltou que os macacos não transmitem febre amarela e por isso não devem ser alvo de ataques.

Imunização

A recomendação para aplicação da primeira dose da vacina contra a febre amarela é para bebês com idade de 9 meses. Aos quatro anos, a criança recebe o reforço.

Onde se vacinar?

A vacina pode ser aplicada em pessoas de 59 anos. Para se vacinar, é necessário portar o cartão de vacinação. A secretaria destaca que a dose é aplicada gratuitamente e a imunização vale para a vida toda.