Cidades

Morte de funcionário da Saneago será investigada como homicídio culposo

Segundo a PC, houve negligência por parte da companhia, que deveria oferecer equipamentos de salvamento para os funcionários


Larissa Lopes
Do Mais Goiás | Em: 24/04/2019 às 17:09:43

Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Foi instaurado inquérito policial na última segunda-feira (23) sobre a morte do agente de sistemas da Saneago, Flávio Leonel Moraes, de 34 anos. Ele desapareceu no dia 11 de abril na captação do Rio Meia Ponte, no Bairro São Domingos, em Goiânia após, acompanhado de outro funcionário, pular na água por acreditar que o barco em que estava poderia virar.

O corpo foi encontrado dois dias após o ocorrido. Até então era considerado acidente. Contudo, após ouvir testemunhas uma investigação foi aberta pela Polícia Civil (PC) para apurar homicídio culposo por negligencia por parte da Companhia.

“Ouvimos o funcionário que estava junto com o Flávio, a esposa da vítima e o superior hierárquico”, afirma o delegado responsável pela investigação, Wellington Ferreira Lemos. “Pudemos ver que houve negligência por parte da Saneago devido a ausência de equipamentos de proteção individual (colete salva-vidas) que a empresa deveria oferecer”, completa.

Segundo o delegado, foi expedido um oficio solicitando informações complementares da companhia para investigação.

A Saneago informou em nota ao Mais Goiás que, no primeiro momento, a prioridade da companhia foi prestar todo o apoio aos familiares. Agora, o foco é apurar as causas do acidente. A empresa ressalta que está apoiando as investigações policiais, no entanto, não irá se pronunciar até que o inquérito esteja concluído. Paralelo ao trabalho policial, foram instaurados procedimentos internos para elucidar o caso.

*Larissa Lopes é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo