Morre o 11º paciente da Vila São Cottolengo, de Trindade

Ele estava internado no Hugo, mas não tinha H1N1. Com esse, sobe para 11 o número de mortes de pacientes do hospital filantrópico só neste ano.

Morreu na manhã desta quarta-feira (28) mais um paciente da Vila São Cottolengo de Trindade. O homem, de 50 anos,  estava internado no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e, de acordo com a vila, ele tinha diagnóstico negativo para H1N1, porém estava internado em estado grave, respirando com a ajuda de aparelhos. Com essa morte, sobe para 11 o número de mortes de pacientes do hospital filantrópico só neste ano.
De acordo com a assessoria da Vila, o homem foi submetido a exames para a confirmação da causa da morte. E apesar de não ter sido diagnosticado com H1N1, ele estava internado em um leito de isolamento da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com pressão instável, sedado, comatoso (rebaixamento no nível de consciência), respirando por aparelhos.
A vila ainda aguarda a posição da regulação da Prefeitura de Goiânia para transferir outros dois pacientes para UTI. Esses foram liberados pelo Hugo na última semana e têm resultado positivo para a doença. O estado de saúde dos dois é considerado grave.
Um paciente com resultado negativo para H1N1 segue internado no HDT. Na vila, outros três estão em isolamento.
Mortes
Desde fevereiro, 11 pessoas morreram após internos apresentarem sintomas parecidos com gripe, mas apenas duas foram confirmadas por complicações por H1N1. As demais foram agravadas por outras doenças que serão identificadas através de exames.
Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) informou que “todas as solicitações de vaga em UTI são acompanhadas e monitoradas pela equipe técnica da Central de Regulação. A busca é realizada constantemente e, de acordo com o perfil clínico e disponibilidade de leitos, os pacientes são encaminhados para internação”.