Do Mais Goiás

Cruzamento mal sinalizado no setor aeroporto é foco de acidentes e reclamações à SMT

De acordo com quem vive na região, acidentes ocorrem toda semana no cruzamento das ruas 12-A e 11-A. Segundo a SMT, sinalização será feita em breve

A má sinalização de trânsito em um cruzamento localizado no Setor Aeroporto é uma reclamação constante dos moradores da região. Quem mora por lá revela que acidentes ocorrem toda semana no entroncamento das ruas 12-A e 11-A.

De acordo com a enfermeira Zelma Rodrigues, que trabalha em um consultório localizado em uma das esquinas do local, os moradores já solicitaram à Prefeitura para que fossem tomadas providências, mas até hoje nada foi feito. “A Prefeitura nunca nem veio aqui. Eu trabalho nesse consultório há 11 anos e toda semana tem um acidente aqui”, afirmou.

Zelma acredita que uma rotatória seria uma ótima forma de evitar que tantos acidentes ocorressem, entretanto, uma sinalização de ‘Pare’ pintada na via já surtiria uma grande mudança. “Aqui no consultório nós colocamos barra de proteção na calçada para evitar maiores estragos, já que uma vez um caminhão quase entrou aqui dentro após uma batida”, contou a enfermeira.

Ela contou que, no último dia 28, dois carros de envolveram em um acidente e um deles chegou a atingir as barras de proteção. Nessa mesma colisão, ambos os carros tiveram perda total, entretanto ninguém ficou ferido. Segundo Secretaria Municipal de Trânsito Transporte e Mobilidade (SMT), a sinalização será feita em breve.

Um dos carros chegou a atingir as barras de proteção no último dia 28. (Foto: Juliana França/Mais Goiás)

Sinalização

De acordo com o doutor em Engenharia de Trânsito e Transporte, Benjamin Jorge Santos, a sinalização é um fator primordial no trânsito e a não existência ou falta de manutenção adequada podem causar inúmeros acidentes.

Benjamin explicou que, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a sinalizações vertical e horizontal funcionam em conjunto. “Não basta apenas uma placa de ‘Pare’ na via (sinalização vertical), é necessário que o ‘Pare’ esteja pintado e bem visível na via (sinalização horizontal), além – é claro – de uma iluminação adequada no local”, salientou.

Ele disse ainda que cabe à SMT fazer uma fiscalização adequada e providenciar as devidas manutenções. “Infelizmente, falta planejamento em Goiânia. Além disso, falta investimento na SMT, para ter mais técnicos e mais estrutura para atender melhor a população”, criticou o engenheiro.

Segundo Benjamin, o ideal seria que a SMT fizesse uma fiscalização a cada seis meses. “Além disso, qualquer cidadão que identificar problemas de sinalização pode entrar com requerimento e solicitar uma visita técnica do órgão no local. Inclusive, todos os cidadãos deveriam ter consciência de que qualquer um pode sugerir melhorias na cidade”, concluiu.