Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás

Moradores prestam homenagem a Júlia e pedem Justiça em Caldas Novas

Decoração natalina que matou criança eletrocutada foi substituída por cartazes com pedidos de justiça; manifestação está marcada para a próxima sexta (4)

Cartazes foram fixados no local de morte de Júlia em Praça de Caldas Novas. Garota foi eletrocutada ao tocar decoração de natal (Fotos: reprodução)
Cartazes foram fixados no local de morte de Júlia em Praça de Caldas Novas. Garota foi eletrocutada ao tocar decoração de natal (Fotos: reprodução)

Diversos amigos e familiares de Júlia Honório Franco, de 8 anos, foram até a Praça Mestre Orlando, em Caldas Novas para prestar homenagem à garota, morta eletrocutada após tocar estrutura que compunha decoração de Natal municipal. Durante o ato, realizado na segunda-feira (30/11), pessoas comovidas com o suposto acidente fixaram cartazes com pedidos de justiça. Os itens de decoração natalina foram removidos do local e passam por inspeção.

De acordo com Naftali Gomes, amiga da família, os pais de Júlia não estiveram presentes no manifesto por estarem muito abalados com a morte da filha. Além do pedido de justiça, os cartazes também pedem que a decoração de Natal não fossem recolocada no local em respeito à família.

Naftali conta que uma nova manifestação será realizada na próxima sexta-feira (4). Segundo ela, os pais da garota estarão presentes no local, assim como os amigos e familiares. “Toda a cidade se mobilizou, pois foi muito chocante a forma como tudo aconteceu. O fato de que qualquer um ou até mais pessoas poderiam ter se tornado vítimas, visto que toda a decoração estava energizada”, ressalta.

Moradores prestam homenagens à Júlia e pedem Justiça pela morte da criança

Moradores prestam homenagens à Júlia e pedem Justiça pela morte da criança (Foto: Arquivo Pessoal)

Moradores prestam homenagens à Júlia e pedem Justiça pela morte da criança

Moradores prestam homenagens à Júlia e pedem Justiça pela morte da criança (Foto: Arquivo Pessoal)

Relembre a morte de Júlia

Júlia morreu na última sexta-feira (27) após receber um choque enquanto brincava com a irmã na Praça Central de Caldas Novas. A garota chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi encaminhada para o Hospital Nossa Senhora Aparecida, mas não resistiu.

A Polícia Civil (PC) abriu um inquérito para investigar a morte da garota. Porém, até o momento, a corporação já tem fotos de fios desencapados que estavam sendo usados na decoração e o próprio eletricista da prefeitura constatou que a estrutura metálica que onde estavam instaladas parte da decoração estava em percurso de 60 metros estava energizada.

A Prefeitura de Caldas Novas publicou uma nota no último sábado (28) na qual lamentou a morte de Júlia e destacou que a decoração foi realizada por profissionais capacitados há 10 anos. O prefeito da cidade, Evandro Magal (PP), publicou um vídeo no qual defende os profissionais e afirma que o Executivo será transparente nas informações que forem solicitadas pela PC para ajudar nas investigações.

Em um desabafo emocionante nas redes sociais, Reijany Honória de Almeida, mãe de Júlia, lembrou a última foto que tirou da filha, agradeceu aos profissionais de Saúde que atenderam a filha e pediu Justiça pela morte da criança.

“[…]Eu perdi um pedaço de mim. Meu chão foi deixado ali naquele cemitério, mas eu sirvo um Deus vivo, ele me deu um anjo para eu cuidar há oito anos, para trazer felicidade nos nossos corações, mas terminou o tempo dela aqui e hoje eu creio que ela está em um ótimo lugar”, desabafa.