Cidades

Moradores do distrito de Lavrinhas de São Sebastião ficam ilhados com interdição de balsa, em Goiás

Interdição foi realizada pela Marinha devido à falta de manutenção. Moradores do distrito têm que dar volta de 100 quilômetros para chegar à São Luiz do Norte


Joao Paulo Alexandre

Do Mais Goiás | Em: 01/02/2019 às 17:24:31


Balsa está interditada desde o dia 30 de janeiro (Foto: Divulgação)
Balsa está interditada desde o dia 30 de janeiro (Foto: Divulgação)

Moradores de Lavrinhas de São Sebastião, distrito de São Luiz do Norte, a 235 quilômetros de Goiânia, estão ilhados após interdição da balsa que passa sobre o Rio das Almas. A proibição está em voga desde o último dia 30 de janeiro, por parte da Marinha, devido à falta de manutenção.

O balseiro Selmo Luiz Correio, de 46 anos, conta que a empresa em que trabalhava – responsável pela balsa – paralisou as atividades no último dia 11 de outubro, devido a atrasos de pagamento da Agência Goiana de Infraestrutura e Transporte (Goinfra), antiga Agetop. Ele também destaca que trabalhou no trajeto de 1992 até o dia da interdição.

Para não deixar os moradores na mão, Selmo conta que passou a cobrar R$ 5 para moto e R$ 10 para carro. No local, segundo ele, passam 500 pessoas diariamente. “Eles nos avisaram, nós cumprimos aviso e o serviço foi encerrado. Para a população não ter mais prejuízo, resolvemos continuar fazendo a travessia por nossa conta e com a ajuda dos moradores para abastecimento e manutenção”, explica Luiz.

De acordo com o gerente de uma proprietário rural, Sebastião Venâncio Barbosa, pela balsa, o trajeto até a cidade era de 12 quilômetros, pela GO-338, e durava 40 minutos. Agora, para trazer cerca de 40 trabalhadores para a empresa de seringueira, é necessário dar uma volta de 100 quilômetros, pela BR-153, que dura mais de duas horas.

“Estamos indignados com essa situação. O tempo e a distância são muito longos. Esses trabalhadores podem estar com os empregos em risco, pois não é viável o tempo gasto e o trajeto para poder chegar ao distrito e vice-versa”, conta. De acordo com Sebastião, uma manifestação será realizada neste sábado (02) para chamar atenção das autoridades para o caso.

Por meio de nota, a Goinfra informou que “já está em contato com a Marinha para liberação da balsa e uma equipe do órgão estadual foi até a região para os procedimentos técnicos necessários.”