Cidades

Moradores de Senador Canedo reclamam novamente de falta de água

Da última vez, um mês atrás, a cidade ficou nove dias com problemas na distribuição em diversos bairros


Bárbara Zaiden

Do Mais Goiás | Em: 24/11/2018 às 19:02:36


(Foto: divulgação/Leitor Mais Goiás)
(Foto: divulgação/Leitor Mais Goiás)

Pouco mais de um mês após o Mais Goiás noticiar uma crise de abastecimento de água em Senador Canedo, moradores enfrentam o problema novamente. Desde sexta-feira (24) o abastecimento está comprometido no bairro Boa Esperança. Da última vez, a cidade ficou nove dias com problemas na distribuição.

As irmãs Jéssica Melo e Patrícia Maia moram no bairro que foi afetado. Elas explicam que o abastecimento está irregular desde a manhã de sexta-feira (23). Segundo Patrícia, as respostas da Prefeitura e da Agência de Saneamento de Senador Canedo (Sanesc) “parecem ser sempre as mesmas”.

“Eu liguei duas vezes. A moça disse que foi um problema no sistema e eles estavam tentando normalizar. Depois, disseram que foi um problema em uma bomba que já tinham consertado. Acho que é até uma informação-padrão, é o que eles sempre dizem”, afirma a estudante de Direito.

Jéssica também conta que já ligou diversas vezes na Sanesc e o problema não foi normalizado. Com um bebê de seis meses, a situação para ela fica ainda mais complicada. “Fica muito difícil. Porque é aí que preciso de água mesmo. As roupas dele se acumulam muito rápido”, afirma a mãe.

Em nota, a prefeitura de Senador Canedo informou que, de fato, houve houve falta de água em alguns pontos da região Central de Senador Canedo, mas que o problema já foi normalizado. “A equipe técnica solucionou o problema detectado e o sistema já está sendo recuperado”, diz o texto oficial.

Patrícia ainda contou ao Mais Goiás que, da última vez, o abastecimento voltou ao normal depois que a notícia foi divulgada pelo Portal. À época, a justificativa dada pela Prefeitura foi de que uma adutora, próxima à GO-020, foi a causa inicial do problema, que depois piorou devido a uma queda de energia.

“Eu não sei se foi coincidência. Mas eu acredito que tenha sido por causa da matéria. Por isso estou pedindo a ajuda do Mais Goiás”, finaliza.