Francisco Costa
Do Mais Goiás

Vídeo mostra moradora expulsar George Morais, que pedia voto em Trindade

"Responderá na justiça", diz George Morais sobre acusação de corrupção. Candidato a prefeitura e esposa, Flávia Morais, foram expulsos de uma residência na cidade

Justiça suspende direitos políticos de George Morais; cabe recurso
Justiça suspende direitos políticos de George Morais; cabe recurso

Circula uma gravação de vídeo e uma de áudio no WhatsApp, na qual uma moradora expulsa o candidato a prefeito de Trindade, George Morais (PDT), e a esposa dele, deputada federal Flávia Morais (PDT), de uma residência na cidade. Conforme apurado, eles pediam votos, mas a munícipe se irritou e fez acusações de supostos desvios de dinheiro de asfalto no setor. Ao Mais Goiás o pedetista disse que as falas divulgadas em áudio são mentiras e que a mulher terá que provar na justiça, uma vez que a ação já foi protocolada.

Destaca-se que, segundo o áudio, houve a construção de um postinho no local durante a gestão de George, mas este foi feito com verbas federais. A voz feminina diz, ainda, que ele “passou a mão na verba do asfalto”. “Político tem que ser honesto“, diz em outro trecho.

Confira o vídeo e o áudio a seguir:

George Morais

O candidato do PDT a prefeitura de Trindade confirmou que, de fato, eles foram expulsos do local. “Saímos, respeitamos a vontade do eleitor. Mas com relação ao áudio, já conversamos com o nosso pessoal [jurídico] e ela vai ter que provar as acusações”, diz George. “Entramos com processo de difamação e calúnia. Isso parece coisa encomendada, pois temos batido de porta em porta e a oposição não. Não vamos aceitar esse tipo de coisa, vamos processar para inibir outras ações.”

Além disso, ele afirma que a mulher se equivoca em todo o discurso. De acordo com Morais, o posto de saúde foi construído com verba do município e que o setor (Marisa Imperial), recebeu algumas pavimentações, apesar de não ter recebido recurso.  “Ela foi na conversa da oposição”, lamenta.

George Morais foi prefeito de Trindade de 2001 a 2008, por dois mandatos.