Do Mais Goiás

Missões comerciais ampliam em 2000% balança comercial de Goiás

O aumento do volume de exportações é principalmente resultado da ampliação do intercâmbio do Estado com o mundo por meio das missões comerciais.

Balanço divulga nesta semana para Secretaria de Desenvolvimento de Goiás (SED) mostram que o Estado ampliou em 2.000% o saldo de sua balança comercial desde 1999. Segundo o levantamento, o aumento do volume de exportações é principalmente resultado da ampliação do intercâmbio do Estado com o mundo por meio das missões comerciais.

Para manter a expansão dos negócios, o governador Marconi Perillo comanda, a partir desta segunda-feira (16/5), mais uma missão comercial. Acompanhado dos secretários da Fazenda, Ana Carla Abrão, e do Desenvolvimento Econômico, Thiago Peixoto, o governador permanece três dias aos Estados Unidos, onde vai divulgar as potencialidades de negócios com o setor produtivo do Estado em quatro eventos na cidade de Nova York.

Com a ativação das missões internacionais desde 1999, Goiás exporta para mais de 160 países. Em 1998, exportava apenas para 50. A balança comercial do Estado cresceu mais de 2000%, desde então. O Estado exportava 384 milhões de dólares, e hoje exporta cerca de 8 bilhões de dólares.

“Lá fora, as pessoas não conhecem nosso Estado. Não têm informação de que nós somos um Estado central, estratégico, desenvolvido economicamente e que oferece uma série de oportunidades. E nessas palestras e seminários eu levo todas as informações econômicas e sociais sobre o nosso Estado”, disse e o governador.

“As pessoas ficam surpresas. E muitas delas que sequer tinham pensado em trazer investimentos para o Brasil começam a cogitar a investir aqui, a vir para Goiás. Afinal de contas, se juntarmos com Brasília nós somos um mercado consumidor de mais de 10 milhões de pessoas, e isso é um mercado poderoso em qualquer parte do mundo”, avalia Marconi.

As missões internacionais têm funcionado como intercâmbios comerciais e expandido as negociações com empresas de múltiplos setores. Desde 1998 para cá, no primeiro mandato de Marconi, Goiás perdeu a timidez e passou a buscar investimentos no mundo inteiro. Saltou de um PIB de R$17,4 bilhões, em 1998, para R$155 bilhões, em 2014.  Marconi trabalha com a visão de um governante moderno, que compreende que é preciso abrir a economia do Estado para o mundo, para que seja possível driblar a competitividade.

No ano passado, o governador empreendeu quatro missões. Na primeira, em março, esteve na França e Itália. Em abril visitou Portugal. Em maio, Boston e Nova York (EUA), e em outubro liderou a missão à Europa, na Espanha, Alemanha, Bélgica e Holanda.

Missão nos EUA
A agenda de trabalho em Nova York é composta de uma série de reuniões com empresários e possíveis investidores norte-americanos e canadenses, principalmente do setor financeiro, da indústria de alimentos e bebidas, energética e automotiva.
Nesta segunda-feira, a partir das 8 horas, participa do 5º World Economy and Brazil, no Harvard Club. O evento é realizado pela FGV e terá o fundador do Gávea Investimentos e ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga e diretor do Banco Bradesco, Octávio Barros, como palestrantes. Em pauta a crise brasileira e o avanço da relação comercial entre Brasil-EUA como possível solução para a crise.

Na tarde desta segunda-feira, o governador realiza reuniões na Bolsa de Valores de Nova York. Na ocasião, ele ainda participa do encerramento das negociações do dia. Considerado um dos eventos de maior destaque do mundo financeiro, o fechamento da bolsa de valores ocorre às 16 horas (horário local), quando os sinos são acionados, indicando o fim das transações. Os sineiros são pessoas de destaque. Além de executivos, atletas como Michael Phelps e o ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, já tocaram o sino.

Na terça-feira (17 de maio), o governador e sua comitiva estarão presentes num café da manhã com representantes do Banco BTG e com o economista Pérsio Arida. Estão previstas ainda reuniões com empresários brasileiros, latinos e americanos no V World Economy and Brazil, no Harvard Club.

Na quarta-feira (18 de maio), a convite Conselho das Américas e pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide), Marconi  fará palestra sobre os potenciais econômicos de Goiás, destaques administrativos, soluções em gestão pública, propostas de superação da crise, durante evento da Lide, a partir das 13h30, no American Society. A exposição, prevista para durar cerca de 30 minutos, será acompanhada de perguntas e respostas dos empresários norte americanos presentes.