Clima esquentou

Ministro Eduardo Braga e senador Caiado discutem durante comissão

Após ofensas e ameaça, Braga promete tomar medidas cabíveis contra Caiado





//

Um bate-boca entre o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) e o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, marcou a sessão desta quinta-feira (29/10) da Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas.

As rusgas surgiram na hora em que o parlamentar goiano dirigia perguntas ao peemedebista. Ele reclamou da falta de atenção do titular da pasta e depois deixou a sala, voltando momentos depois.

Ao perceber que Braga estava de costas para ele e mexendo no celular, Caiado reclamou da postura e pediu respeito. A troca de acusações evoluiu para ofensas pessoais.

“Você é bandido, não respeito não, bandido safado, tá acobertando essa concessão da Celg, isso é negociata. Safado”, acusou. Braga retrucou: “Olhe o decoro parlamentar, bandido é vossa excelência, me respeite”. Os dois foram apartados por outros senadores que estavam sessão.

Após a discussão, o ministro disse que “tomará as medidas judiciais cabíveis” contra o senador Ronaldo Caiado. “Esse senador mau caráter agiu de forma intencional para agredir e denegrir sem nenhuma justificativa uma autoridade pública que veio ao Congresso cumprir seu papel institucional”, disse o ministro. “O senador Ronaldo Caiado teve uma reação completamente desproporcional”, completou, olhando para o parlamentar, que retornou à sala da comissão.

O ministro explicou que o destempero de Caiado tem a ver com a privatização da Celg Distribuidora pela Eletrobras. Braga afirmou que a companhia tem prejuízo da ordem de R$ 1,1 bilhão por ano, além de um grande desequilíbrio financeiro de sua operação.

“A Celg está em um Estado emergente com grande interesse do capital privado em resolver os problemas de oferta de energia. Soube que o Caiado era contra a privatização da Celg e as medidas para sanear a empresa e liguei para ele. Para a minha surpresa, o senador me disse que essa era uma questão da política goiana e afirmou que iria marcar posição”, relatou Braga.

 

//

Não aceito desrespeito, desdém ou que se faça pouco caso de Goiás. O ministro de Minas e Energia não afrontou só um representante legítimo e eleito senador pelos goianos. Ele afrontou um estado inteiro ao preferir ironia e xingamentos de “desequilibrado”, em vez de usar argumentos para responder sobre o crime que estão cometendo contra a Celg. Lamento o episódio, mas quando se trata de Goiás eu não abaixo a cabeça.

Posted by Ronaldo Caiado on Quinta, 29 de outubro de 2015

(Com agências)