Comunicação

Ministro deixa Secom após crítica a comunicação do governo vir à tona

O governo confirmou a saída em nota divulgada nesta quarta (25/03)




Pouco mais de uma semana após um documento interno produzido pela Secom (Secretaria de Comunicação Social) com críticas à comunicação do governo e admitindo o uso de “robôs” para disseminar conteúdo favorável ao Planalto nas redes sociais, o ministro Thomas Traumann deixou a pasta. O governo confirmou a saída em nota divulgada nesta quarta (25/03). Questionado, ainda não especificou quem comanda a pasta até que um novo nome seja escolhido. O secretário-executivo da secretaria é Roberto Messias.

Segundo a nota, Dilma “aceitou” a demissão de Traumann. “A presidente agradece a competência, dedicação e lealdade de Traumann no período como ministro e porta-voz”, diz o texto. A saída dele já era esperada. O documento, de responsabilidade de Traumann, critica o modo como o governo Dilma Roussef tem gerido sua crise, citando a existência de um “caos político”.

A descoberta do documento, divulgado no dia 17 pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, gerou críticas da oposição e um convite para que ele explicasse à Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado detalhes do material. Traumann estava de férias desde quando o material veio à tona.

Nesta semana, comissões do Senado e da Câmara aprovaram convites para que Traumann desse explicações sobre o documento. Atrubuído à Secom, o texto sugeria aumentar investimentos em comunicação em São Paulo, em parceria com o prefeito Fernando Haddad (PT).

Uma das últimas participações de Traumann em agendas públicas de Dilma aconteceu na cidade de São Paulo, no último dia 10, quando a presidente foi vaiada em uma feira da construção civil no Anhembi (zona norte).

Tópicos