Homenagem

Ministra Damares pode ganhar título de Cidadã Goianiense

Responsável pela proposta destacou atuação dela contra pedofilia e em favor de crianças e indígenas; por outro lado afirmou desconhecer acusações de indigenistas e do MP, contra ONG de Damares, por sequestro e tráfico de crianças


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 21/02/2019 às 12:43:39

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Com agenda em Goiânia nesta quinta-feira (21), a Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, poderá ser agraciada com o título de Cidadã Goianiense. Isso porque o vereador Gian Said, o Dr. Gian (PSB), apresentou a proposição na sessão plenária de quarta-feira (20). A entrega do diploma está prevista para 18 de maio, que marca o Dia de Combate à Pedofilia, uma das bandeiras levantadas por Damaris. A iniciativa, entretanto, ainda precisa ser aprovada em plenário.

O vereador justifica a indicação com base no “currículo da ministra”, jurista que segundo ele é uma “grande líder” e possui histórico de luta em “várias esferas sociais, todas elas englobando a defesa da vida e da família, da causa das mulheres e das questões indígenas”. As reiteradas qualificações apresentadas deixam de lado, porém, um contexto de polêmicas em que a ministra se destaca desde que assumiu a pasta, há quase dois meses.

A mais grave delas é a nacionalmente repercutida acusação, de indígenas, indigenistas e do Ministério Público, de que sua ONG, a Atini, esteja envolvida em sequestro e tráfico de crianças e incitação ao ódio contra indígenas, elementos os quais se contrapõem às questões que Damares afirma combater. Questionado sobre como os supostos crimes influenciavam a decisão de homenageá-la, Dr. Gian afirmou desconhecer as acusações e garantiu que ideia permanece irretocável, por acreditar “que essas denúncias não desabonem a homenagem. Ela [Damares] tem mais pontos positivos que negativos”.

Dr. Giani afirma que acusações contra Damares não desabonam homenagem (Foto: divulgação/Câmara)

Esse discurso, em defesa da proposta e da ministra, se apoia na “proximidade” que Gian afirma ter com Damares desde 2010, quando iniciativas contra a pedofilia foram capitaneadas no Congresso Nacional e na Assembleia legislativa goiana (Alego). “O combate à pedofilia e a defesa da família são bandeiras que eu também defendo. Com o desejo de que a ministra firme laços com Goiânia, propus a sessão solene”.

O regimento interno da Câmara Municipal, em seu artigo 71, parágrafo primeiro, estabelece, entretanto, que a pessoa homenageada deve  ter “reconhecidamente” prestado “serviços relevantes ao Município”. Sobre a atuação específica de Damares em Goiânia, Gian destacou a realização de palestras sobre combate à exploração sexual infantil e ao infanticídio. “Contribuindo com esclarecimentos sobre os temas e ressaltando a importância de se lutar contra esses crimes”.

O título, segundo ele, não deve ter dificuldades para ser aprovado entre os colegas e servirá como instrumento de aproximação do ministério de Damares com a cidade. “Buscando políticas públicas e uma maior atenção para nossa capital no que diz respeito a essas bandeiras”. A contemplação será formalizada à Damares em Brasília pelo vereador dentro das próximas semanas, mas um encontro entre os dois deve ocorrer ainda nesta quinta (15), no MP.