Imóveis

Mercado de locação registra crescimento em Goiânia

Além da sazonalidade do período, especialistas estão percebendo um incremento na movimentação no setor no início deste ano


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 20/03/2017 às 13:54:16

Corretores da URBS Imobiliária. (Foto: Divulgação)
Corretores da URBS Imobiliária. (Foto: Divulgação)

O mercado de aluguéis em Goiânia inicia 2017 com boas perspectivas para o setor. De acordo imobiliárias da capital, são nos primeiros três meses do ano que as pessoas costumam mais mudar de endereço. Por isso, o mercado está aquecido. Mas, além da sazonalidade do período, os especialistas estão percebendo um incremento na movimentação. Só neste mês de janeiro, o desempenho foi acima da média histórica comparada com os anos anteriores.

De acordo com dados do Departamento de Inteligência de Mercado da URBS Imobiliária, só na primeira metade do mês de janeiro houve um aumento de 13% no número de contratos de locação na capital, na comparação com o mesmo período de 2016, sinalizando uma perspectiva de crescimento. “Desde 2014, o desempenho do primeiro trimestre vem crescendo a cada ano”, explica Geraldo Rodrigues, gerente de locação da URBS Imobiliária.

A empresa também registrou em 2017 um aumento de 11% de consumidores que buscam opções para locação. “Durante o momento mais intenso de crise, a taxa de desocupação cresceu, ou seja, pessoas que foram morar na casa de parentes ou em imóvel cedido. Acreditamos que, em parte, eles estão voltando porque a economia já está dando sinais de retomada”, analisa Rodrigues. Ele avalia que a reação da indústria causará uma reação em cadeia no comércio, nos empregos, e no mercado de locação também, e isso inclui a ocupação de imóveis comerciais.

Volta às aulas

O perfil de quem aluga é diversificado. Além das famílias goianas em busca de um novo endereço, Geraldo lembra que este é o período que antecede o início das aulas nas faculdades, que atraem muitos estudantes do interior. “Além disso, muita gente chega à Goiânia nessa época, por causa das transferências no trabalho, um movimento cada vez mais comum em nossa capital’, disse. Segundo o IBGE, Goiás é um dos Estados com maior número de migrantes em números absolutos, ficando atrás somente de São Paulo.

Em comparação aos demais meses do ano, a imobiliária revela que as locações residenciais crescem até 15%. Os dados são do departamento de locação da URBS e apontam que, em 2016, a média de locação foi de 52 imóveis por mês. Os números são maiores nos primeiros meses do ano, quando a média chegou a 60 locações.

Em Goiânia, os setores que são mais procurados ainda são os tradicionais: Oeste, Bueno e Marista. Mas hoje tem uma tendência para as proximidades do parque, por exemplo do Parque Flamboyant. Segundo Geraldo, não chega a faltar imóvel, mas pode acontecer da pessoa procurar algo específico que é mais difícil de localizar, como imóveis mobiliados de alto padrão.