APREENDIDOS

Menores que esfaquearam motorista de aplicativo são detidos em Aparecida de Goiânia

Os adolescentes, de 16 e 17 anos, confessaram terem assaltado e esfaqueado um motorista de aplicativo em julho no Setor Cidade Vera Cruz; o homem os reconheceu


Fabricio Moretti
Do Mais Goiás | Em: 19/08/2019 às 16:29:41

(Foto: Reprodução/Redes-sociais)
(Foto: Reprodução/Redes-sociais)

Dois menores detidos na última sexta-feira (16) confessaram à Polícia Civil (PC) serem os responsáveis por assaltar e esfaquear um motorista de aplicativo no mês passado. T.C.M., 16 anos, e A.J.A., 17 anos, roubaram o veículo e deram sete facadas na vítima.  O homem não morreu. O crime foi no dia 29 de julho no Setor Cidade Vera Cruz, Aparecida de Goiânia.

Segundo o delegado Carlos Levergger, um dos adolescentes foi apreendido com drogas no Terminal das Bandeiras, Jardim Europa. Na delegacia, a mãe de um dos adolescentes se desesperou. Em um vídeo filmado pelos agentes, ela chama o adolescente de monstro e diz que ele acabou com a vida dela.

“Esse adolescente, filho dessa senhora: quando fomos cumprir a internação preventiva, nós flagramos ele traficando drogas dentro de um terminal de ônibus aqui em Aparecida. E impressiona, também, que nas redes sociais dele e do outro, de 16 anos, eles só falam em crimes”, pontuou o delegado.

Motorista de aplicativo foi esfaqueado sete vezes (Foto: PC)

No dia do crime, um dos menores estava em uma distribuidora de bebidas. Ele teria dito a uma mulher que também estava lá, que não tinha celular. E pediu que ela solicitasse um carro por aplicativo. Quando o motorista chegou, o rapaz pediu que ele buscasse um colega no Parque Anhanguera. Assim que o outro amigo entrou no carro, os dois passageiros solicitaram uma corrida até o Setor Cidade Vera Cruz.

Em depoimento à polícia, o motorista contou que parou, a pedido dos passageiros, na Avenida V-3. O adolescente que estava no banco de trás o agarrou, e passou a desferir golpes com uma faca de açougue. Mesmo atingido no pescoço, no ombro, e cinco vezes em diferentes lugares nas costas, ele conseguiu se desvencilhar e desceu correndo do veículo. Os rapazes, então, fugiram com o carro, dinheiro e documentos pessoais do motorista.

O delegado ainda disse que, apesar da pouca idade, os dois menores já possuem outras passagens, e são extremamente perigosos. T.C.M. possui ficha criminal por roubo, tráfico e receptação e A.J.A., por tráfico. O delegado destaca as publicações dos menores nas redes-sociais, de máscaras e portando armas.

Até serem ouvidos por um juiz, os dois adolescentes permanecerão apreendidos. Eles responderão por tentativa de latrocínio, que é o roubo seguido de morte, e, se condenados, podem ficar até três anos longe das ruas, cumprindo medida sócio educativa. “Os dois foram reconhecidos e confessaram o crime. Eles foram encaminhados para internação provisória no Centro de atendimento Socioeducativo (Case) onde ficarão pelo período de 45 dias aguardando a decisão judicial”, explica.

Droga apreendida com um dos menores na sexta-feira (16) (Foto: Divulgação/PC)

Publicação no Facebook de um dos adolescentes detido (Foto: Reprodução/Redes-sociais)

O crime

Atendendo ao pedido dos menores, e sem conhecê-los, na noite do dia 29 de julho a proprietária de uma distribuidora de bebidas em Goiânia, solicitou uma viagem por meio de aplicativo para os jovens. Segundo a PC, eles desviaram o percurso para Aparecida de Goiânia, onde anunciaram o assalto.

Um dos jovens desferiu sete facadas no motorista, na região do tórax, face e pescoço. Eles roubaram o veículo da vítima, que conseguiu descer do carro e buscou ajuda em uma casa da região. Os primeiros socorros foram prestados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e depois ele foi conduzido ao Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).

Por meio de nota, a empresa para qual o motorista trabalha, lamentou profundamente o caso de violência, “se solidarizando com a vítima e sua família, e disponível para colaborar a investigação da polícia”.

 

*Por Fabrício Moretti e Áulus Rincón

*Fabrício Moretti é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira