Crime brutal

Menino de 4 anos morre ao ser esfaqueado 20 vezes pelo padrasto

Crime ocorreu na cidade de Santo Antônio de Jesus, no recôncavo do estado. Homem também esfaqueou a mãe da criança, que era namorada dele. Mulher sobreviveu.


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 15/10/2019 às 09:42:03

Caso ocorreu no primeiro andar da casa onde suspeito morava, em Santo Antônio de Jesus, na Bahia (Foto: Reprodução)
Caso ocorreu no primeiro andar da casa onde suspeito morava, em Santo Antônio de Jesus, na Bahia (Foto: Reprodução)

Um menino de quatro anos morreu no sábado (12) ao levar 20 facadas do padastro em Santo Antônio de Jesus, na Bahia. Miguel Martins Pita Costa foi morto após o namorado da mãe tentar matá-la e o agressor não conseguir fazer o garoto controlar o choro. O crime aconteceu no apartamento do casal.

O acusado é o estudante de direito Edilton Araújo Andrade, que também ficou ferido e foi encaminhado para o Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus. O homem que foi preso e confessou os crimes, segundo informações divulgadas pela Polícia Civil.

Conforme a polícia, Edilton Araújo Andrade Júnior, de 24 anos, esfaqueou Manoela Costa Silva Martins, de 29 anos, em diversas partes do corpo e depois atacou Miguel Martis Pita Costa, de 4 anos. Após os crimes, o suspeito ainda se esfaqueou e pulou a janela do primeiro andar do imóvel

A criança, a mãe e o suspeito foram socorridos e levados para o hospital da cidade, contudo, o menino não resistiu aos ferimentos. O corpo da criança foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade. Não há informações sobre o sepultamento dele.

Em depoimento, a mulher contou que namorava com o suspeito há um ano e meio, e que ele não tinha sido agressivo até então. A vítima contou ainda que tinha ido para a casa do namorado para passar o feriado de Dia das Crianças.

Edilton teve alta na segunda-feira e foi levado para a delegacia da cidade, onde será ouvido novamente. O homem teve prisão preventiva decretada pela Justiça e será transferido para presídio em Salvador.

O caso segue sob investigação. (Com informações do G1-BA)

Tópicos