Menina que caiu de toboágua em Catalão será batizada no Hugol

Criança de cinco anos teve traumatismo craniano após cair de uma altura de cerca de cinco metros; ela segue internada em estado grave


Leicilane Tomazini
Do Mais Goiás | Em: 14/01/2020 às 10:48:49

Tia da menina que caiu em clube disse que ela está calma e cantando. Criança caiu de escada do toboágua e teve fratura no crânio (Foto: Reprodução)
Tia da menina que caiu em clube disse que ela está calma e cantando. Criança caiu de escada do toboágua e teve fratura no crânio (Foto: Reprodução)

A família de Luna Borges Tavares Arruda, que caiu de um toboágua em um clube da cidade de Catalão no último sábado (11), pretende realizar o batizado da garota no Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), onde está internada desde o acidente, ocorrido no sábado (11). A decisão foi tomada após uma tia de Luna, Ludmila Tavares Arruda, ter conversado com um padre da Catedral de Goiânia, no último domingo (12).

“Já íamos batizar ela agora no início do ano e como aconteceu isso tudo, queremos agora realizar o batizado para aumentar a proteção dela”, contou Ludmila ao Mais Goiás. Segundo ela, a expectativa é de que a cerimônia aconteça ainda nesta terça-feira (14), mas ainda estão aguardando a resposta do padre.

Caso

A criança de cinco anos subiu em um toboágua do Clube Recreio Colonial, quando teria se desequilibrado e caído de altura de cerca de cinco metros. Ela teve traumatismo craniano e foi encaminhada ao Hugol , onde segue em estado grave e respirando com ajuda de aparelhos.

Segundo o avô da menina, Zaga Arruda, Luna teria avisado à mãe, com quem estava no clube, de que iria ao banheiro, mas decidiu subir sozinha no brinquedo. Ele contou ainda, que as pessoas que estavam no local no momento do acidente disseram que não havia ninguém supervisionando a subida das pessoas na plataforma, como de costume.

Ainda de acordo com Zago, a direção do Clube procurou a família para oferecer o respaldo necessário. Apesar disso, o Recreio Colonial ainda não se pronunciou publicamente sobre o assunto. A reportagem entrou em contato novamente, nesta terça-feira (14), mas as ligações não foram atendidas.