Música

Membros do Eagles of Death Metal são barrados na reabertura do Bataclan

Diretor da boate ficou ofendido com comentários feitos pela banda sobre massacre em 2015




Em 13 de dezembro de 2015, o Estado Islâmico atacou restaurantes e casas de shows em Paris. O caso mais marcante foi da boate Bataclan, em que 89 pessoas foram mortas e 130 ficaram feridas. No momento do ataque, a banda stoner Eagles of Death Metal tocava no palco e não saiu ilesa, perdendo um membro da equipe no massacre e outros ficaram feridos.

 

Agora, um ano depois, a banda foi barrada de entrar na reinauguração da casa no dia 12. Segundo a AFP, o vocalista Jesse Hughes e os outros membros da banda foram barrados de ver o show de Sting pelo diretor da casa, Jules Frutos.

 

“Eles vieram e eu os expulsei. Há coisas que não se pode perdoar”, declarou Frutos à AFP. Frutos apenas confirmou que nunca mais convidaria a banda nem os deixaria entrar no Bataclan anteriormente em uma entrevista à France Info.

 

O motivo é que Hughes teria dado entrevistas culpando a falta de segurança da casa de shows pelo massacre, dando a entender que a boate foi irresponsável na hora do caos, afinal de contas, um homem conseguiu entrar com um fuzil de assalto em uma boate lotada.

 

Frutos ficou ofendidíssimo com a declaração e disse à FI que: “Decidi que eles não passarão pelo Bataclan”. Até agora, Hughes não comentou sobre o ocorrido.