Do Mais Goiás

Melhor álbum para Britney Spears, ‘Femme Fatale’ completa 10 anos

Crítica e público podem não acreditar que este é o melhor disco da cantora, mas projeto trouxe singles e uma pagada mais jovial de Britney Spears

'Fiquei envergonhada', Britney Spears fala sobre documentário pela primeira vez
'Fiquei envergonhada', Britney Spears fala sobre documentário pela primeira vez (Foto: reprodução/Vagaume)

O sétimo álbum de estúdio de Britney Spears, Femme Fatale, completa 10 anos nesta quarta-feira (25). O projeto, que traz um recorte jovial da princesa do pop, pode não ser o mais elogiado da cantora pela crítica e pelo público, mas, para ela, é o melhor trabalho que lançou até aquele momento.

Britney afirmou em entrevista à V Magazine que o álbum foi o melhor da carreira dela. “Acho que “Femme Fatale fala por ele mesmo (…) eu trabalhei bastante nele e passei dois anos gravando o álbum. Eu acho que este é o melhor disco que já fiz”, disse a cantora.

Lançado em 25 de março de 2011 pela Jive Records. O álbum conta com sonoridade que mistura por pop, dance-pop e eletropop, mas também dá espaço a elementos de house, dubstep, trance, europop e R&B. Spears recebeu colocações positivas da crítica especializada sobre o álbum, mas a cantora também foi criticada pelo uso de vocais mixados e o fato da artista não ter composto nenhuma das faixas presentes no disco.

Independente da opinião pública, Britney conseguiu com que Femme Fatale chegasse ao topo das paradas musicais na Austrália, Brasil, Canadá, Estados Unidos, México e Rússia. Onde não ficou em primeiro, pegou, pelo menos, o pódio. Foi o caso de Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França e em mais 15 nações.

Aliás, este foi o sexto álbum de Britney a debutar a primeira colocação da Billboard 200 em território americano e conseguiu certificado de platina ao vender um 1 milhão de cópias apenas em solo estadunidense. No mundo todo, estima-se que o número total de vendas tenha chegado a 3,2 milhões.

'It's Britney bitch': álbum 'Famme Fatale' completa 10 anos

Capa de ‘Femme Fatale’, que ainda traz o número 7, por ser o sétimo disco da cantora (Foto: Divulgação)

Gravação

O álbum contou com produção de Max Martin e Dr. Luke. Britney pediu para que Femme Fatale fosse um disco completamente diferente de Circus (2008) e que as faixas se conectassem do início ao fim.  

O primeiro single do disco, Hold It Against Me,foi a primeira faixa a entrar na tracklist do disco. Uma curiosidade é que a música seria entregue a Katy Perry, mas Luke e Max acharam que a canção não se encaixaria bem no repertório da cantora.

O disco traz também dedos de Will.i.am, do grupo Black Eyes Peas, na produção. Britney sempre deixou claro que era fã dele. Esse foi o primeiro contato dos dois, que, pouco depois, resultaria no feat em Scream & Shout, de 2012.

Singles

Femme Fatale conta com 12 músicas, sendo que quatro delas se tornaram singles: Hold It Against Me, Till The World Ends, I Wanna Go e Criminal.

Para a primeira música de trabalho, foi feito um faz uma alusão à vida da própria Britney. Ela interpreta uma cantora que vem do espaço e passa a sofrer com a pressão da mídia na Terra – assunto que seria retratado também em I Wanna Go.

O vídeo conta com duas cenas marcantes: a primeira é quando a cantora está com um vestido branco em um espaço com muitas televisões – em cada uma delas há um vídeo da cantora. E a segunda consiste no embate necessário entre duas Britneys.

Till The World Ends surfou na onda de clipes apocalípticos e trouxe Britney dançando com bailarinos em tubulações enquanto a Terra era atingida por meteoros. Uma outra curiosidade é que a cantora Kesha está entre as compositoras da canção. A música, inclusive, ganhou uma versão remix com a participação dela e da rapper Nicki Minaj.

Em I Wanna Go, a cantora aposta na sensualidade e em vocais remixados. O vídeo da música traz, mais uma vez, críticas com a mídia que tenta sufocar Spears. Desta vez, entretanto, há um tom cômico ao tratar deste assunto.

Há a coletiva com perguntas ácidas, paparazzi ciborgues e uma luta cuja arma é um microfone. O clipe tem referências a Thriller, de Michael Jackson e aos filmes Pra Lá de Bagdá, Crossroads – Amigas Para Sempre (que a cantora estrelou) e Exterminador do Futuro.

Criminal foi o último single lançado e conta com charme à parte. O vídeo mostra uma mulher que vive um relacionamento tóxico e é agredida pelo companheiro. Um criminoso, ao ver a cena, ajuda Spears ao bater no então namorado e ela se apaixona por ele. O enredo nunca foi tão fiel aos versos da canção. “Mas mamãe estou apaixonado por um criminoso/E esse tipo de amor não é racional, é físico/mamãe, por favor não chore, eu ficarei bem/Todas as razões de lado eu simplesmente não posso negar, eu amo o cara”.

Claro que o álbum traz outras canções que não foram trabalhadas, mas que merecem atenção pela sonoridade e musicalidade, como Selfish, Gasoline e Inside Out. Essas faixas trazem elementos electropop, funk e R&B e, por mais que os vocais sejam hiper-remixados, combinam com a estética musical.

Críticas

Femme Fatale contou com boa parte de recepções positivas por parte da crítica. A revista Rolling Stones disse que o álbum poderia ser considerado o melhor álbum da cantora e que também seria o mais forte entre eles. A revista afirma que o conceito foi simples pois a gravação foi destinada a “festas cheias de sexo e tristeza.” Com isso, o projeto recebeu a maior quantidade de estrelas que um álbum da cantora já havia recebido pela revista: quatro de cinco estrelas.

O Entertainment Weekly disse que o álbum é “uma balada sem fim; uma pista de dança incansável com produção de elevada qualidade”. Além disso, os vocais de Britney eram como “um guia de confiança de corrupção a um lugar onde a nossa única preocupação é saber se as batidas acabariam antes do sol nascer.”

O site PopJustice ponderou sua surpresa com a obra. “Quem achou que o dubstep só seria explorado no break de Hold It Against Me, se enganou, o dubstep esta presente no DNA deste álbum”. “[…] Batidas eletrônicas também fazem parte desse CD. O pop tradicional que Spears fazia em seus outros álbuns praticamente foi extinto”.

O resultado disso foi o desempenho e vendas do disco. Na Austrália, por exemplo, Britney emplacou, pela primeira vez em doze anos, um disco número um. E, por isso, recebeu o certificado de ouro por mais de 35 mil cópias vendidas em uma semana de lançamento.

No Reino Unido, o maior mercado de música da Europa, o disco estreou em 8º lugar no principal ranking de vendas.

Já nos Estados Unidos, Spears vendeu 278,6 mil cópias na primeira semana e fez com que o álbum alcançasse a primeira colocação na Billboard Hot 200. Na segunda semana, o disco vendeu 75 mil cópias e só ficou atrás do álbum 21, da Adele.

Femme Fatale colocou Britney no seleto grupo de mulheres com os maiores lançamentos no topo da parada. Empatadas com ela estão Mariah Carey e Janet Jackson. As cantoras ficam atrás apenas de Barbra Streisand e Madonna.

Femme Fatale Tour

Britney viu a necessidade de levar um espetáculo com a setlist presente no álbum e com isso ela fez 79 apresentações em países da América do Norte, Europa, América Latina e Ásia com a Femme Fatale Tour. O primeiro show ocorreu em 16 de junho de 2011 em Sacramento, no Estados Unidos, e finalizou em San Juan, Porto Rico, no dia 10 de dezembro daquele ano. Com isso, a turnê foi a segunda mais lucrativa da carreira de Britney, com o faturamento de U$ 80 milhões, e se tornou a 11ª mais bem sucedida de 2011. Com ela, a princesinha do pop retornou ao Brasil após 10 anos quando ela veio pela primeira vez no Rock In Rio em 2001.

A turnê foi dividida em cinco seguimentos nos quais Britney interpreta uma agente secreta fugindo de um stalker. No primeiro, ela tenta escapar da prisão com outras presas. No segundo ato, ela apresenta número com muita coreografia e termina com uma performance inspirada em Marilyn Monroe.

O terceiro traz um tema egípcio com fogos de artifício e acrobacias. O quarto segmento apresenta rotinas de dança energéticas e uma motocicleta. Por fim, ela apresenta um vídeo para capturar o stalker e faz duas performances onde que mostra que ela venceu um grupo de ninjas.

À época, em entrevista o Entertainment Tonight, Britney contou sobre os preparativos do show. “Estou muito animada. Provavelmente vou estar extremamente nervosa um dia antes. Nós estamos trabalhando duro. Já fazem dois meses e tudo está caminhando realmente bem. […] [O show] pode ser uma espécie de [coisa penosa], especialmente quando você está no palco e está no seu oitavo número. Você fica realmente sem fôlego e pensa: ‘Como posso fazer o resto do show?’ Mas eu venho treinando há algum tempo e de fato — antes de eu vir para os ensaios — estive fazendo ginástica e coisas assim, então não vou ficar nessa situação.”

No Brasil, Britney Spears fez duas apresentações: uma na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, e na Arena Anhembi, em São Paulo. Todos os ingressos foram vendidos e a cantora seguiu a setlist que contava com todas as músicas do álbum, mas trazia sucessos de trabalhados anteriores como Gimme More, …Baby One Morte Time, 3, I’m a Slave 4 U, Womanizer, Boys e If U Seek Amy.

A Femme Fatale Tour levou Britney pela primeira vez na Croácia, Ucrânia, Emirados Árabes Unidos, Argentina, Chile, Colômbia e Venezuela.

A turnê virou um DVD que foi gravado durante a apresentação em Toronto, no Canadá. O projeto foi intitulado Britney Spears Live: The Femme Fatale Tour. O formato foi lançado em 21 de novembro de 2011.

Melhor álbum para Britney Spears, 'Famme Fatale' completa 10 anos

Melhor álbum para Britney Spears, ‘Femme Fatale’ completa 10 anos