Abuso

Médico é preso por importunação sexual contra paciente durante consulta em Cais de Goiânia

De acordo com a PC, a mulher procurou a unidade para tratar uma dor de garganta e durante a consulta o médico teria tocado o seu órgão sexual. Ele foi preso em flagrante


Kayque Juliano
Do Mais Goiás | Em: 16/10/2018 às 13:30:55

O caso é investigado pela Deam (Foto: Reprodução)
O caso é investigado pela Deam (Foto: Reprodução)

Um médico de 64 anos, que não teve a identidade divulgada, foi preso na manhã desta segunda-feira (15). Ele é suspeito do crime de importunação sexual contra uma paciente que realizava uma consulta no Centro de Atenção Integrada à Saúde (Cais), do Setor Bairro Goiá, em Goiânia.

De acordo com a Polícia Civil (PC), a vítima teria ido até a unidade de saúde para tratar de uma dor de garganta, mas durante o atendimento com o médico, ele teria tocado o órgão sexual dela.

A vítima relatou que se levantou, interrompeu a consulta e saiu da sala. Ela ainda tentou ser atendida por outro profissional, mas não foi possível. De acordo com a corporação, a mulher e o marido dela acionaram a polícia.

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) informou que repudia qualquer atitude que ofenda a dignidade da pessoa humana e esclarece que,ao tomar ciência do caso, afastou o médico das atividades. O órgão também informou que abrirá uma sindicância para apurar os fatos e que já está disponível para contribuir com as investigações da justiça.

Para a polícia, o médico negou as acusações e informou que realizou o procedimento clínico normal e que a paciente se equivocou. Contudo, a delegada entendeu que há indícios do crime e deteve o médico em flagrante. De acordo com a PC, o crime é afiançável, porém com a pena máxima de cinco anos. O valor da fiança é estipulado pelo Poder Judiciário.

Crime

A Lei de importunação sexual foi sancionada no último dia 24 de setembro, quando Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), na ocasião presidente em exercício, sancionou o texto.

No Artigo 215-A do Código Penal, traz a discrição do crime “Praticar contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”

*Com informações do G1 Goiás