Trânsito

Médico bêbado invade contra-mão e colide contra carro conduzido por mulher grávida na Vila Redenção

Mulher e bebê em gestação estão bem e receberam alta do Hugo; agora família segue para o IML, onde a vítima passará por exame de corpo de delito. O homem ainda está hospitalizado


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 30/07/2018 às 17:34:28

Homem foi hospitalizado e ainda não compareceu à delegacia para prestar esclarecimentos (Foto: reprodução/Leitor Mais Goiás)
Homem foi hospitalizado e ainda não compareceu à delegacia para prestar esclarecimentos (Foto: reprodução/Leitor Mais Goiás)

Um médico pode ser preso por embriaguez ao volante, após ter colidido o carro em que estava, um Fiat Toro, contra um Renault Duster, o qual era conduzido pela servidora pública Alessandra Rodrigues que está no sétimo mês de gestação. O acidente ocorreu no viaduto José Mendonça de Lima, entre a Vila Redenção e o Setor Chácaras Alto da Glória, por volta das 8h40. Ele e a mulher – que sentia dores no peito e na barriga – foram encaminhados de ambulância para o Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz. A mulher já recebeu alta.

Segundo a Polícia Militar (PM), após o choque frontal, o motorista realizou teste do etilômetro, que acusou 0,85 miligrama de álcool por litro de ar alveolar de forma a configurar crime de trânsito. Neste momento, o caso é avaliado na Central de Flagrantes, cujo delegado, Eduardo Carrara, determinará se haverá ou não possibilidade de fiança.

Após batida, mulher aguardou ambulância na grama de um canteiro central (Foto: divulgação/Leitor Mais Goiás)

De acordo com cabo Xavier, do Batalhão de Trânsito, o acidente aconteceu porque o motorista bêbado invadiu a pista contrária. “Bateu de frente com o carro da vítima. Na sequência, o bafômetro acusou que ele estava com uma quantidade que era quase três vezes superior ao permitido. É crime de trânsito, agora vamos ver se o caso vai ou não ter fiança”.

Segundo Francisco Braga, empresário e marido de Alessandra, a mulher estava sozinha no carro no momento da colisão. “Ela estava indo para o trabalho. Na minha avaliação, ele não deveria nem ter saído de casa. Agora vamos fazer o exame de corpo de delito, registraremos ocorrência, e acompanharemos esse caso até o fim. Ele irá pagar pelo erro que cometeu, mas  felizmente, não aconteceu nada. Ela e a bebê estão bem”.