Tentativa frustrada

Médica planejava falso sequestro e roubo para dar golpe em seguradora de Ceres

Os envolvidos foram encaminhados à delegacia da cidade, ouvidos e liberados em seguida. Os suspeitos não foram autuados já que o crime de estelionato não foi consumado


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 08/11/2019 às 10:14:16

Uma médica foi pega ao planejar um falso sequestro e roubo, em Ceres. O objetivo, segundo a Polícia Civil (PC), era dar um golpe na seguradora. (Foto: Reprodução/Internet)
Uma médica foi pega ao planejar um falso sequestro e roubo, em Ceres. O objetivo, segundo a Polícia Civil (PC), era dar um golpe na seguradora. (Foto: Reprodução/Internet)

Uma médica foi pega ao planejar um falso sequestro e roubo de carro, em Ceres, na região Central do Estado. O objetivo, segundo a Polícia Civil (PC), era dar um golpe na seguradora do veículo. A mulher chegou a contratar dois jovens para simular os crimes, mas o plano foi frustrado por uma equipe da Polícia Militar (PM), que passava pelo local onde o falso roubo estava ocorrendo. O caso ocorreu na noite desta terça-feira (5) e o nome dos envolvidos não foram divulgados.

Conforme conta o delegado responsável pelo caso, Matheus Costa Melo, a médica, uma secretária do lar que trabalhava com a suspeita e outros dois rapazes, que planejavam a simulação confessaram o crime. A intenção era que os jovens abordassem a profissional de saúde, a levassem para algum ponto e colocassem fogo no carro posteriormente. Após o falso crime, a mulher acionaria o seguro para receber o valor do automóvel.

O plano, no entanto, não foi concluído. Isso porque uma testemunha presenciou o momento em que os jovens “abordaram” a médica. Pensando se tratar de um roubo real, o popular acionou a PM. De imediato, a corporação abordou os suspeitos e o plano não teve continuidade. 

Os envolvidos foram encaminhados à delegacia de Ceres, ouvidos e liberados em seguida. O delegado explica que um registro foi aberto, mas que os suspeitos não foram autuados já que o crime de estelionato não foi consumado.

“Eles ainda estavam realizando atos preparatórios do crime e esses atos não são puníveis. A seguradora não foi acionada e a médica não registrou boletim de ocorrência do falso roubo”, afirmou. Ainda conforme Matheus, um inquérito foi instaurado para apurar as circunstâncias do fato. O caso deve ser arquivado após a conclusão.