Mateus Ferreira continua na UTI em estado grave

O estudante passou por cirurgia durante quatro horas para reparação dos ossos frontais

Continua grave o estado de saúde de Mateus Ferreira da Silva, de 33 anos, ferido durante a manifestação da última sexta-feira (28), que aconteceu no Centro de Goiânia. Ele está internado em um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

Segundo a assessoria do hospital, Mateus está sedado e intubado. Ele foi submetido a procedimentos cirúrgicos por aproximadamente quatro horas, na tarde de ontem (29), com as equipes de Neurocirurgia e Bucomaxilofacial, para reparação dos ossos frontais.

Mateus, que é estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás (UFG), ficou ferido após receber no rosto um golpe de cassetete desferido por um policial. Com o impacto, o objeto chegou a quebrar. No hospital, Mateus foi diagnosticado com traumatismo cranioencefálico (TCE) e múltiplas fraturas.

A confusão aconteceu quando os manifestantes estavam concentrados na Praça do Bandeirante, no cruzamento entre as avenidas Anhanguera e Goiás. Em determinado momento da manifestação, um grupo arrancou bandeiras e cartazes de movimentos sociais que estavam em um carro de som e amontoaram para fazer uma fogueira.

Os PMs chegaram ao local e dispersaram o grupo, que em seguida quebrou vidros de uma agência bancária e foi mais uma vez repreendido. No meio da ação, Mateus foi ferido.

De acordo com a assessoria da Polícia Militar, as imagens da agressão contra Mateus foram encaminhadas à Corregedoria da PM para que o responsável seja identificado de forma oficial.

Em entrevista à TV Anhanguera, Suzethe Barbosa, mãe de Mateus, disse que não conseguiu ver as imagens da agressão contra o filho. “Quero justiça. Essa pessoa que fez isso com meu filho deve ter filhos também. Que ele coloque a mão na consciência e perceba que fez errado. Que ele seja punido”, disse Suzethe, que mora em São Paulo.