Do Mais Goiás

Matemática divide expectativa de estudantes no segundo dia do Enem em Goiânia

Provas das áreas de exatas e biológicas fecham primeira edição do exame realizada em dois domingos consecutivos

Uma semana depois do primeiro dia de provas, estudantes de todo o Brasil voltaram às salas de aula neste domingo (12) para finalizar a participação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017. Os portões das universidades que são locais de prova se fecharam às 13 horas. O tempo para os candidatos responderem as questões será menor do que tiveram no último domingo. O final do exame está marcado para 18h, serão quatro horas e meia para a realização dos testes de Matemática e Ciências da Natureza – um total de 90 questões objetivas.

Em Goiás, no primeiro dia de provas, houve abstenção de 31,30% dos inscritos. Isto é, cerca de 150 mil compareceram aos locais marcados para o exame. Quem esteve presente se surpreendeu com o tema da redação, que abordou a educação de surdos, e enfrentou uma prova de Linguagens com textos longos. Dessa vez, nas disciplinas de Exatas, a expectativa se dividia entre confiança, daqueles que, como Carlos Eduardo Aguiar, de 17 anos, veem a Matemática como seu forte, e receio, daqueles que temem os números.

Com foco em cursar Odontologia, Carlos já fez o Enem em duas edições anteriores como treineiro. “Agora é para valer”, comentou antes da abertura dos portões da Universidade Salgado de Oliveira (Universo), onde faria as provas desse domingo. Perspectiva diferente da que têm Maísa Martins e Cecília Gomes. Ambas têm 15 anos e esperam que testar os conhecimentos no exame possa ser uma forma de controlar o nervosismo quando forem fazer a prova almejando uma vaga na universidade. Por orientação do pai, Cecília, inclusive, já havia feito o teste no ano passado, quando ainda cursava o 9o ano do Ensino Fundamental.

Laura Rodrigues de Souza, de 19 anos, já fez o Enem duas vezes e conta que, mesmo com a experiência, a prova não deixa de ser tensa. Ela quer fazer o curso de Jornalismo e, até pela afinidade com a área de humanas, estava receosa com a prova de Matemática. À espera da abertura dos portões no Centro Universitário Uni-Anhanguera, Isabella Procópio e Stherphanya de Deus, de 20 anos e 18 anos, respectivamente, também estavam nervosas por não se identificarem com as matérias do segundo dia do exame. Elas fizeram curso pré-vestibular juntas durante o ano todo. Isabella pretende ingressar no curso de Direto, enquanto a amiga pretende ser médica veterinária.

A mesma profissão é o objetivo de Thays Alencar, de 17 anos, que fez o Enem pela primeira vez este ano,  na Universo. Otimista com a prova deste domingo, ela contou que se saiu razoavelmente bem no primeiro dia, apesar de considerar complicado o tema da redação. Durante a semana, a candidata reforçou os estudos da área de Biologia. Ao lado de Thays, antes do início do exame, Júlia Moreira, de 17 anos, demonstrava mais receio em relação às temáticas que seriam abordadas nas questões do dia. Em busca de cursar Publicidade e Propaganda, Júlia avaliou que o primeiro dia foi mais fácil do que ela esperava, mas temia o que viria de Física e Química.