Saúde

Marina Sant’Anna defende universalização do Samu

Candidata ao Senado quer ampliar bases da rede de urgência em Goiás. Marina Sant’Anna avalia que descentralização da saúde é essencial para melhoria da qualidade de vida em cidades do interior




//
//

A universalização do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) é uma das pautas que Marina Sant’Anna (PT) defenderá na área da saúde. A candidata, única mulher que em toda a região Centro-Oeste do Brasil concorre ao Senado Federal, quer articular junto à União para que ocorra cobertura efetiva dos 246 municípios goianos e em prol da ampliação do número de bases da rede de urgência. A descentralização da saúde, segundo ela, é essencial para melhora da qualidade de vida dos munícipes.
 
“Vamos levar mais saúde, mais Unidades de Pronto Atendimento para as regiões de Goiás. Vamos espalhar por toda a parte o Samu”, projeta. Hoje, Goiás dispõe de centrais e/ou ambulâncias do Samu em cidades como Goiânia, Alto Paraíso, Anápolis, Aparecida, Caldas Novas, Iporá, Itaporá, Itumbiara, Ceres, Goiás, Formosa, Goiânia, Luziânia, Porangatu, Rio Verde e Valparaíso. A maior parte delas foram instaladas recentemente, graças a investimentos do Governo Federal.
 
 “O fortalecimento da saúde nas cidades do interior do Estado, assim como nos pequenos municípios de todo o Brasil, é meta que vou perseguir incansavelmente no Senado”, garante Marina Sant’Anna. Na pauta da senadoriável há, ainda, a instalação de Unidades de Pronto Atendimento (UPA´s) e clínicas especializadas em todas as regiões do Estado, além de instituição de Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos para os profissionais da saúde.
 
Números
Em todo o país, há 2.969 ambulâncias, sendo 2.215 Unidades de Suporte Básico, 557 Unidades de Suporte Avançado e 197 Motolâncias; atendendo mais de 70% da população brasileira. Quantitativo que garante uma cobertura de 137 milhões de brasileiros. Há, ainda, 181 Centrais de Regulação presentes em 2.538 municípios.
 
De 2003 a 2013, o número de ambulância aumentou 10 vezes. Salto que garantiu que as iniciais 309 unidades em operação no país, chegassem a 3.041 até o final do ano passado. Número que garantiu que a cobertura aumentasse em 440% na última década. Os recursos, no mesmo período, cresceram 880%. Os R$ 90,8 milhões que eram empregados anualmente no serviço em 2003, chegaram a R$ 884,2 milhões ao final do ano passado. Incremento de R$ 140,2 milhões frente a 2012. Desde que foi criado, o Samu já beneficiou mais de 140 milhões de pessoas no Brasil que precisam de atendimento de emergência.