Senado

Marina avança em território caiadista

A petista deseja mostrar que enquanto Caiado representa o setor dos grandes produtores, ela defende os pequenos e a agricultura familiar.




Candidata ao Senado Federal, a suplente de deputada federal Marina Sant´Anna (PT) tem tentando mostrar aos eleitores que ela é uma postulante antagônica a Ronaldo Caiado (DEM), deputado federal que lidera as pesquisas.

A petista deseja mostrar que enquanto Caiado representa o setor dos grandes produtores, ela defende os pequenos e a agricultura familiar. A estratégia começou a dar certo: a candidata tem recebido apoio de diversos representantes deste segmento. A prova é que Marina conseguiu chegar ao segundo mês da disputa à frente de Vilmar Rocha (PSD), na maioria das sondagens aos eleitores.

Candidato forte, devido ao apoio de Marconi Perillo, Vilmar não tem bandeiras como Marina e Caiado. Marina, ao contrário, tenta colecioná-las.  Hoje, por exemplo, Marina disse que “2014 é o ano da agricultura familiar”, numa tentativa de trazer a agricultura, um tema caiadista, para a arena dos seus votos – geralmente ligados aos segmentos excluídos.


MÉDICOS

A luta de Marina, todavia, é árdua. Caiado conseguiu, por exemplo, espalhar seus votos, daí a liderança nas pesquisas.

Os médicos goianos, por meio de suas associações, já optaram em apoiar o democrata, numa tentativa de ter nele um braço de apoio no Congresso. Apesar de parte dos agricultores ter rompido com Caiado, ele ainda mantém a força no segmento.

A entrada de Marina em campo é que torna a eleição mais disputada neste segmento do campo. O diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), Elias Borges, por exemplo, tem declarado apoio à ex-deputada goiana: “Marina Sant’Anna é a chance de ter alguém no Senado que pense diferente. Todos os senadores são ligados aos grandes fazendeiros e às grandes empresas e dificultam a defesa dos trabalhadores rurais. Para nós, é vital ter a Marina no Senado Federal”, diz.