POLÊMICA

Marília Mendonça é acusada de transfobia ao falar de boate goiana; vídeo

Durante live, cantora ri ao contar história de quando um membro da equipe beijou uma mulher trans


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 10/08/2020 às 03:23:25

Marília Mendonça (Foto: Reprodução)
Marília Mendonça (Foto: Reprodução)

Na noite do último domingo (9) o nome de Marília Mendonça foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter. A cantora está sendo criticada na internet, com usuários das redes sociais acusando-a de transfobia. Isso porque durante uma live, Marília riu ao contar sobre um beijo que aconteceu entre um membro de sua equipe e uma mulher trans, na Disel, boate de Goiânia fechada em novembro de 2017.

“Quem é de Goiânia lembra da boate Disel“, começa a sertaneja, quando é interrompida por risadas de pessoas que estavam no local durante a live. “E aí eu não vou falar quem, nem vou falar o porquê, vou só ficar calada. Mas quem lembra da boate Disel, lembra”, ri a artista junto com os outros no local.

“Disse que lá foi o lugar que ele beijou a mulher mais bonita da vida dele”, continua, sem citar o nome do colega. “É só isso gente, o contexto aí vocês não vão saber né”, conclui rindo. Em pouco mais de quatro horas de publicação, o vídeo já tinha mais de 31 mil curtidas no Twitter.

Assista ao vídeo:


A repercussão do caso está fazendo com que Marília Mendonça seja “cancelada” na internet, um sinônimo de boicote que costuma ser aplicado a figuras públicas que tenham feito ou dito alguma coisa considerada ofensiva, preconceituosa ou polêmica.

A influencer e modelo Bruna Andrade, mulher trans goiana, publicou um vídeo que logo viralizou nas redes sociais. Nele, ela expõe a história e explica o que caracteriza o ato como transfóbico.

“Quando eles falaram da boate, eles começaram a rir muito debochadamente, como se tivesse uma piada muito grande. Qual a graça de existir uma boate voltada para o público LGBTQI+? As risadas são de deboche mesmo”, diz.

“E no finalzinho o cara fala assim, ‘será que era mulher mesmo?’ Eu engoli seco, porque eles estavam debochando de um amigo deles que ficou com uma menina trans. Isso é transfobia“, diz a modelo.

 

Ver essa foto no Instagram

 

No vídeo eu mostro um exemplo claro de como a transfobia é naturalizada na nossa sociedade.

Uma publicação compartilhada por Bruna Andrade (@bru__andrade) em

Em conversa com o Mais Goiás, Bruna Andrade afirmou ser da cantora, mas que está chateada com a história. “Eu assisto todas as lives dela. Aí quando ela começou a falar da Disel, que foi um local que eu frequentei, fiquei animada“, conta a influencer.

“Eu fiz um vídeo como um desabafo e para demonstrar que pessoas trans podem receber afeto, que não é motivo de vergonha. Meu intuito foi mostrar o quão dolorido e perigoso é esse tipo de comentário. Essa piada para ela [Marília Mendonça] é engraçada, mas faz gente morrer“, alerta Bruna Andrade.

“Esse caso mostra explicitamente como a transfobia age. Nem sempre essa transfobia é violenta, aparente. Às vezes é sutil. Muita gente não achou nada demais no vídeo. Pode achar até que estou exagerando na proporção do que aconteceu”, desabafou.

 

O Mais Goiás entrou em contato com Osvald Ribeiro, antigo dono da Boate Disel em Goiânia. Osvald disse que achou o comentário da sertaneja “infeliz” e afirmou que nesta segunda-feira (10) irá se manifestar através das redes socais.

Após a repercussão do caso, Marília se manifestou no Twitter na manhã desta segunda-feira, dizendo que aceita estar errada e que precisa melhorar. O Mais Goiás entrou em contato com a assessoria de Marília Mendonça, que afirmou que a sertaneja “não vai mais falar sobre o caso”.

boa te disel marília mendonça transfobia trans boate disel Marília Mendonça é acusada de transfobia ao falar de boate goiana; vídeo

A Boate Disel era localizada no Setor Oeste (Foto: Reprodução)

 

Marília Mendonça defende equipes numerosas em lives de sertanejos