Marconi sugere a prefeitos que criem consórcios municipais para baixar custo de pavimentação

A todos ele tem garantido que o Estado firmará convênios para repasses de recursos, em duas parcelas: uma este ano e outra em 2018

Em face da situação de precariedade da malha viária urbana da grande maioria das cidades goianas, do fato de a quase totalidade dos prefeitos estarem reivindicando e da falta de recursos para os serviços de manutenção, o governador Marconi Perillo está sugerindo aos novos prefeitos, recebidos por ele em audiência, que formem consórcios municipais para baratear os custos das obras de melhoria e pavimentação das ruas e avenidas de suas cidades. A todos ele tem garantido que o Estado firmará convênios para repasses de recursos, em duas parcelas: uma este ano e outra em 2018.

Nesta quinta-feira, 19 de janeiro, o governador abriu as portas de seu gabinete para mais uma maratona de audiências individuais aos novos prefeitos – 28 ao todo. “Com o consórcio é possível fazer mais asfalto, com um custo menor”, repetiu o governador a cada um deles, garantindo também que os convênios serão cumpridos à risca pelo Estado.

Ele começou a manhã recebendo uma comitiva de Fazenda Nova, liderada pelo prefeito Afrânio Ferreira (PMDB). Reafirmou que o governo está aberto a parcerias e que não haverá qualquer tipo de discriminação a nenhum prefeito, independente se foi eleito por partidos da base do governo ou da oposição.

Dentre os pleitos levados pelo prefeito de Fazenda Nova, pedido de recapeamento de ruas, convênio com o Hospital Municipal e doação de microônibus para transporte escolar e ambulância. “Fui bem recebido pelo governador, ele nos passou muita confiança”, avaliou o peemedebista, ao final da audiência.

A comitiva de Inaciolândia, liderada pelo prefeito Francisco Castilho (PSB), levou ao governador as demandas urgentes do município, com destaque para pavimentação urbana, operação emergencial de recuperação da GO-206 e doação de veículo para transporte escolar. Oposição e situação se uniram no município, segundo relato do prefeito, em nome da cidade. Na audiência, o governador informou ao prefeito que a programação do Estado para este ano, na área habitacional, é construir 30 mil novas moradias. Francisco Castilho também pediu ao governador a construção de 200 casas populares no município. “Estou definindo tudo com os pés no chão. O que for fechado no convênio, o Estado vai pagar”, garantiu Marconi.

Na audiência seguinte, recebeu a nova prefeita de Americano do Brasil, Maria Sueli da Silva (PTB).  A principal demanda encaminhada foi a construção de galpões comerciais, para permitir a instalação de empresas no município. “Sou muito preocupada com a geração de emprego”, afirmou a prefeita, ao ressaltar que o município tem vocação para o empreendedorismo. Ela também pediu ao governador que ajude a cidade na recuperação de sua malha urbana.

O prefeito de Campinorte, Francisco Sobrinho (Pros), chegou para audiência com o governador acompanhado o presidente nacional da legenda, Eurípedes Júnior. “Fomos eleitos para representar a sociedade”, afirmou o prefeito, que reivindicou a retomada das obras de pavimentação da GO que liga Nova Iguaçu a Santa Terezinha. A ele o governador garantiu que o Estado vai assinar em breve convênio com o município, com a destinação direta de recursos para execução das obras de infraestrutura. “O senhor pode ficar tranquilo que aqui tem um governador aberto a atender Campinorte”, disse Marconi ao prefeito.

As prioridades encaminhadas pelo prefeito de Mundo Novo, Hélcio Alves (PR) foram asfaltamento urbano, Cheque Moradia e retomada das obras de pavimentação da GO-136, que liga Mundo Novo a Crixás. “O governador nos recebeu muito bem e mostrou-se sensível aos pedidos encaminhados”, resumiu.

Um pacote de ofícios foi entregue ao governador pelo jovem prefeito de Santo Antônio de Goiás, Frederico Marques (PSDB), que estava acompanhado do deputado federal Giuseppe Vecci. A principal demanda é a construção de um distrito agroindustrial no município, cuja área já foi adquirida pela prefeitura.  O prefeito pediu também respaldo do Estado para instalar na cidade polos de confecção, de tecnologia e de indústria. “Muito do que Santo Antônio de Goiás é hoje se deve à presença do governo do Estado na cidade”, disse o prefeito a Marconi.  Pediu ainda apoio para realização do festival gastronômico, a instalação de um colégio militar e um ramal do Complexo Produtor Mauro Borges para atender a demanda de água na cidade.

A caravana da pequenina Vila Propício, chefiada pelo prefeito Cirlei Rodrigues (PTB), ouviu do governador que foi ele, Marconi, quando deputado estadual, autor do projeto de lei que criou o município. Marconi disse ter ligações afetivas com a cidade, em função da proximidade com Pirenópolis e das tradicionais festas religiosas, além das belezas naturais, dentre elas as da Lagoa Azul, da qual era assíduo frequentador. Garantiu que será firmado um convênio com o município e sugeriu ao prefeito que forme um consórcio para a realização de obras de pavimentação urbana. “A contratação direta permite baixar custos, fazer mais e melhor”, ponderou o governador. Em atendimento a pedido do prefeito, Marconi também autorizou uma ação emergencial para recuperação da GO-230, ainda não pavimentada.

Prefeito de São Luiz de Montes Belos, Major Eudecírio (PDT), trouxe entre os principais pedidos a instalação de um colégio militar na cidade, massa asfáltica para recapear as vias da área urbana, casas populares, construção de aeródromo, instalação de um IML e a reforma do hospital municipal. “É uma unidade regional, porque atende várias cidades”, alegou Eudecírio. Ele ouviu do governador o compromisso de firmar um convênio para repassar recursos às obras prioritárias e que este ano tinha, entre as prioridades, minimizar o déficit habitacional do Estado. “Vou priorizar as casas, com ajuda da Caixa Econômica Federal”, anunciou Marconi Perillo.

Felipe Santana (PRTB), prefeito de Vila Boa, também solicitou ao governador a construção de casas populares e a reforma do hospital municipal. “Nosso hospital está na UTI”, justificou o prefeito. Ao que o governador respondeu. “Vamos fazer um convênio. Metade esse ano, metade ano que vem”, afirmou Marconi sobre o repasse de recursos. “Vou ajudar na reforma do hospital, mas preciso, antes, que vocês façam uma estimativa de custos”. Sobre as casas, o governador pediu para que o prefeito apontasse um terreno público municipal para construção. “Então, nós entramos com o Cheque Mais Moradia e a Caixa com o financiamento”, explicou o governador.

Prefeito de Goiandira, Odemir Moreira (PSDB), agradeceu as ações do governo na cidade. “Demonstra interesse por Goiandira. O senhor é um municipalista”, enalteceu. Moreira mostrou ao governador um projeto para instalação de um polo industrial no município e pediu ajuda para viabilizá-lo. “Quando voltar a aquecer a economia, queremos estar preparados para receber as empresas”, ressaltou o prefeito, afirmando ser essa uma das obras mais importantes para a cidade. “Vocês estão certos na definição desta prioridade. Estão pensando no futuro”, elogiou Marconi.

O prefeito de Itaguaru, Eurípedes Potenciano (PSDB), entre outros pedidos, solicitou ao governador a recuperação do aparelho de raio x, a compra de um micro-ônibus escolar e a construção de casas populares. “Em todas as oportunidades tenho realçado a importância das suas parceiras. O senhor tem sido um grande parceiro de Itaguaru”, declarou ao governador. Marconi disse que fará o encaminhamento da questão do aparelho de raio x e do micro-ônibus aos secretários da Saúde e Educação, respectivamente.  “Queria agradecer o repasse feito no fim do ano. Foi uma sensibilidade muito grande”, observou um dos auxiliares do prefeito presentes na reunião, em alusão ao repasse das verbas da saúde, realizado em dezembro de 2016.

Já a gestora de Caçu, prefeita Ana Cláudia (PMDB), entregou ofícios ao governador com solicitação de ambulâncias. “Para remover pacientes com mais de 1,80 tem de ser via Samu”, disse. Pediu também a pavimentação do Setor Vale do Sol 2, reforma do aeródromo da cidade e a construção de uma rótula na GO 206 na entrada da cidade, como forma de diminuir os acidentes decorrentes da alta velocidade com que os veículos chegam ao município. Ana Cláudia pediu, ainda, a instalação de um colégio militar e para que fosse aumentado o efetivo da Agência Prisional no presídio de Caçu.

Ela agradeceu o governador pela entrega de 600 casas populares na cidade e pediu que, no entanto, fossem agilizadas as obras de infraestrutura no perímetro das moradias. O governador acenou com um convênio para transferência de recursos para a administração do município. “Vou encaminhar a questão das casas para a Agehab como prioridade”, declarou Marconi.

Na última reunião da manhã, com o prefeito de Água Fria (PTC), Dr José Eduardo Oliveira, Marconi ouviu, entre outros, pedidos para melhorar a segurança da cidade e de uma ambulância. “Pleiteamos a melhoria das estradas e o governador prontamente se prontificou a ajudar. Ofereceu a nós a ambulância e a melhoria da Segurança Pública”, disse o prefeito, que classificou a reunião como “muito proveitosa”.