Cidades

Marconi Perillo diz que governo atua para evitar desvios como os flagrados pela Operação SOS Samu

Governador afirmou que fraude em UTIs é crime contra a humanidade




O governador Marconi Perillo comentou, na tarde desta quarta (22/6), sobre a operação SOS Samu, realizada pelo Ministério Público Estadual (MPGO) com objetivo de combater quadrilha que fraudava encaminhamentos de pacientes do Samu para UTI’s. Ele enalteceu a atuação do MP, lamentou o que chamou de crime contra a humanidade, e afirmou que o governo estadual trabalha rigorosamente com ações preventivas e fiscalização rigorosa para evitar desvios como os detectados pela operação.

“É um absurdo que algumas pessoas cometam ações tão deploráveis como essas em uma área tão crucial para a vida, que é saúde, que é a área de UTIs. Isso é um crime. Não é um crime só no aspecto jurídico, mas também um crime contra a humanidade. Contra o povo. É uma vergonha”, lastimou.

“Felizmente, temos sido muito rigorosos na Secretaria de Saúde e no Ipasgo em relação a esses aspectos, e, felizmente, a polícia e o Ministério Público Estadual têm atuado para combater esses crimes. Temos rigorosos procedimentos de fiscalização, mas mesmo com toda fiscalização, não estamos imunes a essas quadrilhas que agem para lesar o patrimônio público, que agem contra a vida. Essa quadrilha acabou tirando muitas pessoas que precisavam de UTI em detrimento de outras que não precisavam, e que eram vítimas de uma articulação que visava o lucro. É louvável que situações como essas estejam vindo à tona, e assim vamos passando a limpo o Brasil”, declarou em entrevista à imprensa durante inauguração da Unidade Ambulatorial de Especialidades do Ipasgo Dr. Admar Otto.

O governador aludiu às duras críticas que recebeu quando decidiu que o governo fecharia a UTI do Hospital São Marcos, em Itumbiara, no ano passado, porque a unidade não atendia aos critérios de fiscalização. “Fui alvo de muitas críticas por conta da UTI do Hospital de Itumbiara. E eu disse várias vezes à representante de Itumbiara que, enquanto nós não mudássemos o modelo de fiscalização das UTIs, nós não iríamos fazer um novo convênio. As críticas foram sendo reiteradas. E a maior prova de que eu estava certo é que um dos presos pela Operação SOS Samu era responsável pela UTI desse hospital”, ressaltou. “Nós, gestores públicos, temos responsabilidades enormes, e precisamos enfrentar o desgaste de dizer não quando for preciso. Corrigir os erros, agir preventivamente para que a população não seja prejudicada”, enfatizou.

Ipasgo

Ao inaugurar a Unidade Ambulatorial de Especialidades do Ipasgo Dr. Admar Otto, no Setor Leste Universitário, o governador lembrou que quando reassumiu a gestão do governo estadual, em 2011, tinha enorme preocupação em regularizar a administração do Ipasgo, de modo a sanar o desequilíbrio financeiro do órgão. Conforme explicou, o projeto era melhorar as tabelas do Ipasgo, expandir os serviços e construir o Hospital do Servidor Público, cuja obra está com mais de 60% executada.

O Ambulatório Dr. Admar Otto oferece especialidades que não são muito demandadas, como neurologia, reumatologia, mastologia, obstetrícia, alergia, e atenção especial à geriatria. “A geriatria terá plantões diários. Essa atenção que estamos oferecendo é recomendação do governador, que me chamou atenção para o envelhecimento da população”, disse o presidente do Ipasgo, Francisco Taveira Neto. O superintendente do Sebrae, Igor Montenegro, agradeceu ao governador pela homenagem ao seu pai, que empresta o nome à unidade.

Marconi disse que o Ipasgo, hoje, atende ao sonho que ele tinha há anos de reequilibrar o instituto e ampliar os serviços. “Temos unidades para atendimento do servidor.  A gestão hoje é compartilhada. Quem indica os diretores são os servidores. E são serviços muito importantes em uma região densamente povoada em Goiânia. Este é o Ipasgo com o qual sonhei”, afirmou.

Tópicos