Saúde

Marconi inaugura Hugol e abre hospital para atendimento à população

Unidade é a maior da Região Centro-Norte do País em urgências e emergências




Em auditório lotado na manhã desta segunda-feira (6), o governador Marconi Perillo inaugurou a maior obra de saúde pública já construída nas regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil. Contendo 71 mil metros quadrados de área construída, em terreno de 137 mil metros quadrados, o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) foi erguido em tempo recorde de 25 meses – entre junho de 2013 e julho de 2015 – e começou a funcionar ainda na manhã de hoje, com cerca de 70% das atividades em pleno funcionamento, seguindo regras estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A solenidade teve a participação do ministro da Saúde, Arthur Chioro, que representou a presidente Dilma Rousseff, que assinou convênio com governo estadual para custeio da unidade.

O Governo de Goiás aplicou R$ 263.603.790,44 na obra, dos quais R$ 168.255.381,42 foram aplicados na construção e R$ 95.348.409,02 na aquisição e instalação dos equipamentos, os mais modernos na área da saúde. Os recursos foram inteiramente destinados pelo Tesouro Estadual. “Esse é um dia feliz, porque nó estamos entregando uma obra que vai ser muito boa para as pessoas mais necessitadas. Estamos cumprindo o que estabelece a Constituição, estamos cumprindo o nosso programa de governo entregando a maior obra de urgência e emergência construída no Brasil nos últimos anos. Uma obra que vai atender a população do Estado de Goiás, que vai salvar vidas, isso é o mais importante”, disse o governador em entrevista coletiva durante a inauguração.

ESTRUTURA
No Hugol, funcionarão 510 leitos, envolvendo 360 leitos de internação (enfermaria); 86 leitos de UTI, sendo 20 leitos de pediatria e sete para queimados; dois blocos de emergência (44 leitos de observação e 14 leitos/boxes de atendimento); centro de atendimento a queimados (6 leitos de internação); 21 consultórios médicos; complexo cirúrgico com 21 salas de cirurgias (24 horas por dia); refeitório para 190 pessoas; auditório com 192 lugares; central de esterilização de materiais; laboratório de análises clínicas, imagem, diagnóstico e tratamento; área verde com irrigação automatizada; heliponto; além de estacionamento com mil vagas.

“Nós fizemos esse hospital em 25 meses. Isso é recorde. Ao custo de R$ 2,4 mil o metro quadrado. Por isso, governador, o senhor estabeleceu um novo parâmetro na execução de obras públicas em Goiás. Isso é referência. Daqui para a frente a obra do Hugo tem que ser padrão para que se execute outras obras em Goiás”, afirmou o presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), Jayme Rincón.

Rincón enfatizou que a obra foi erguida com base em três pilares (qualidade, rapidez e menor preço) e que a inauguração é resultado da dedicação e empenho do governador. “Não tenho dúvidas de que a Saúde em Goiás será outra a partir de hoje. Nada disso teria acontecido se nós não tivéssemos no governo do Estado um visionário, obstinado, um governador que não investiu como nenhum outro na área da Saúde. Isso mostra que o governador continua muito à frente de seu tempo”, disse Jayme.

Secretário de Estado da Saúde, Leonardo Vilela enfatizou a preocupação do governo estadual em garantir “um dos melhores e mais experientes” corpos clínicos do Brasil, que contará 500 médicos prestando atendimento. “Tenho absoluta convicção de que o paciente terá um atendimento de primeiríssima linha”, afirmou.

“Esse não será apenas mais uma hospital de urgências. Nós já temos hospital de urgências, que é referência, o Hugo. O Hugol, além de atender tudo aquilo que o Hugo atende, ele vai inovar na área de cardiologia, nas emergências, de queimaduras, enfim, será um grande diferencial. Esse hospital será equiparado aos melhores hospitais do mundo. Nós temos a convicção de que esse hospital será, logo logo, referência em termos de atendimento de urgências e emergências no país”, disse Leonardo Vilela em discurso.

Tópicos