Investimento

Marconi entrega R$ 32 milhões em equipamentos para a área de Segurança Pública

Eles serão distribuídos por todas as unidades prisionais do Estado.





//

Mesmo diante a crise econômica em que vive o País, o governador Marconi Perillo entregou, na manhã de hoje, à Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP) 45 novas viaturas para o transporte e escolta de reeducandos, 676 armas, 6 mil munições e 1,8 mil pares de algemas.

O investimento total com equipamentos é de R$ 32,4 milhões, oriundos diretamente dos cofres estaduais. Esta foi a maior aquisição de equipamentos para a área da segurança dos últimos 15 anos. Eles serão distribuídos por todas as unidades prisionais do Estado.

“Em que pese a crise financeira, a área de segurança pública tem sido, desde sempre, priorizada em Goiás. Estes não são gastos. São investimentos. É preciso criatividade para locar recursos, num cenário de crise, para termos condições de comprar equipamentos e viaturas. Posso dizer hoje, aqui, que segurança é uma das áreas prioritárias do Estado. Aproveito para agradecer a todos os agentes pelos seus trabalhos e resultados”, disse durante discursos em palanque armado na sede da Secretaria de Segurança Pública, em Goiânia, para cerca de 200 policias civis e militares.

Só a nova frota custou R$ 6 milhões. São 25 novas viaturas do tipo furgão, adaptadas com cubículos-celas, com capacidade para 6 presos cada. Outros 20 veículos são camionetes S-10 (picape), com cabine dupla, que atendem exigências das operações de rotina e também situações de motim e rebelião. “Essas viaturas seguem requisitos técnicos para a execução de um trabalho de segurança pública de excelente qualidade. Estamos avançando cada vez mais”, destacou o secretário Joaquim Mesquita, durante discurso no ato de entrega.

“Estamos entregando 45 viaturas novas. Quando conto para meus colegas governadores que estamos entregando hospital, rodovias duplicadas e equipamentos como estes eles perguntam onde estamos arrumando dinheiro. Digo que estamos administrando com economia e racionalidade. Estas entregas custaram R$ 32 milhões. Quero parabenizar o doutor Joaquim e o coronel Edson e suas equipes. Quando se tem muito dinheiro é fácil fazer as coisas. O duro é racionalizar e fazer as coisas com pouco dinheiro. Vocês têm conseguido fazer isso, com espírito público.”

Armas

Armas e equipamentos de segurança, por sua vez, totalizam R$ 2,5 milhões em investimento. Nos demais equipamentos foram investidos mais 23,9 milhões.  O reaparelhamento será de 576 pistolas calibre .40, .70 espingardas calibre 12, e 30 fuzis. “Este é o maior investimento em equipamentos que a área de agência prisional do Estado já viu. Cada um dos 760 agentes efetivos vai receber uma arma”, frisou o superintendente de Segurança Penitenciária, João Carvalho Coutinho Jr.  Além das armas, escudos e capacetes balísticos também serão destinados às unidades do Grupo de Operações Regionais (Gore) e ao Grupo de Operações Penitenciárias (Gope).

Marconi destacou que os investimentos em Segurança Pública poderiam ser maiores, se houvesse uma gestão compartilhada de todos os entes federados. “Os Estados são os únicos a investirem em segurança Pública hoje. Temos 11% da nossa receita destinada à segurança. A União não gasta nada, a não ser Forças Armadas, com a Polícia Federal e Rodoviária Federal. E municípios, com a Guarda Municipal. Ficamos com a responsabilidade inteira da Segurança Pública do cidadão.  Falei para a presidente (Dilma Rousseff) ontem (durante encontro com os governadores) que é preciso criar um fundo nacional, compartilhado, com responsabilidade estadual, municipal e federal para termos mais dinheiro. Podemos reduzir a criminalidade. Vou continuar trabalhando para equilibrar as finanças.”

A Carteira Funcional

Os agentes contarão a partir de agora com uma nova Carteira Funcional para servidores. O documento, que terá um código de barras, possibilitando o controle informatizado da autenticidade do documento e melhor gestão do acesso em ambientes restritos para fins de fiscalização, foi entregue na manhã de hoje a policiais. Joaquim Mesquita explicou que o formulário da identidade funcional foi impresso em papel moeda e passou por todos os crivos para cumprir os requisitos de um documento com credibilidade e respeito, sendo válido para identificar os servidores do sistema prisional goiano.