Do Mais Goiás

Marconi discute políticas de assistência social na Secretaria Cidadã

A reunião serviu para avaliar as políticas de enfrentamento às drogas e também as que tratam da relação com as comunidades quilombolas, aos negros, deficientes físicos, idosos, crianças e adolescentes

Na Secretaria Cidadã, que engloba as pastas da Mulher, do Desenvolvimento Social, da Igualdade Racial, dos Direitos Humanos e do Trabalho, o governador Marconi Perillo deu sequência, na tarde desta terça-feira (29), às reuniões, na respectiva sede, com secretários, superintendentes e servidores. Prática comum em todas as administrações de Marconi, as reuniões nas secretarias foram retomadas este ano e devem ser realizadas nas dez pastas existentes até meados do mês de abril.

O governador iniciou a visita à Secretaria Cidadã presidindo a solenidade de posse dos 40 novos membros do Conselho Estadual de Assistência Social – 20 efetivos e 20 suplentes. Ex-vice-presidente da entidade, o Padre Pedro Sirtoli assumiu a direção do Conselho, que é formado por voluntários e tem por meta deliberar sobre a política estadual de assistência social. Ele substitui a Denise Barra, que o presidiu por um mandato de três anos.

Durante mais de uma hora o governador reuniu-se com a secretária Lêda Borges e todos os superintendentes da pasta, para discutir as políticas que estão sendo desenvolvidas. Lêda Borges fez  ampla exposição dos programas. A reunião serviu para uma avaliação das políticas em relação ao enfrentamento às drogas, em relação ao sócio educativo, políticas em relação as comunidades quilombolas, aos negros, deficientes físicos, idosos, crianças e adolescentes.

No encontro foram discutidas também as políticas de assistência social, de geração de emprego e renda através da área do trabalho, que tem como missão a qualificação do trabalhador e as intermediações para o emprego.

A secretária Lêda apresentou ao governador um projeto de integração de todas as políticas públicas de inclusão social do governo do Estado. “A ideia – declarou o governador – é que tenhamos uma plataforma contendo todas as famílias que se beneficiam de nossas políticas públicas nas mais diversas áreas e programas, como saúde, educação, segurança pública, passe livre, renda cidadã e bolsa universitária. Será uma forma de nós sabermos quem são as pessoas que se beneficiam das políticas públicas do Governo do Estado”.

Ao detalhar o projeto, a secretária lembrou que o governo do Estado possui programas sociais nas mais diversas secretarias, destacando o Bolsa Universitária, da OVG, e o Passe Livre Estudantil, da Secretaria de Governo, dentre outros. Esses programas não estão integrados numa plataforma de políticas públicas. “Nós precisamos ter uma visão ampla desse universo de investimento que o governo do Estado de Goiás faz com tantos programas”, explicou.

Lêda disse que o grande legado deste quarto mandato do governador Marconi Perillo, em termos sociais, será a plataforma de políticas públicas integradas “para que possamos ter informação concreta do quanto foi investido, quantas famílias foram beneficiadas, o perfil dessas famílias e a interlocução com os beneficiários de qualquer programa social do governo de Goiás”.

No entender da secretária, o Estado precisa saber que tipo de famílias atende e onde elas estão. “Queremos oferecer cursos de qualificação, empregabilidade e renda. Há uma objetividade quando você cria uma plataforma de políticas públicas integradas. Nós temos muitos programas sociais com recursos do Tesouro. O governo Marconi é o que mais tem programas sociais com recursos do Tesouro. Mas eles não conversam entre si, porque estão em secretarias distintas”, salientou.