Na TV Anhanguera

Marconi: a falta de segurança existe devido a uma “crise nacional”

Ele afirmou que a polícia goiana nunca prendeu tanto como atualmente




Governador de Goiás e candidato à reeleição, Marconi Perillo (PSDB) foi o entrevistado do “Jornal Anhanguera” 2ª edição, da TV Anhanguera (Globo), na noite desta segunda-feira (18/08).

Marconi Perillo disse que está lutando contra o crime no estado e que a falta de segurança existe devido a uma “crise nacional”. Ele afirmou que a polícia goiana nunca prendeu tanto como atualmente, mas alegou que a legislação é frouxa, fazendo com que criminosos de alta periculosidade não cumpram toda a pena a que foram condenados.

Questionado sobre a proximidade de membros do seu governo com o contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Marconi salientou que ninguém foi mais investigado do que ele. “Não houve nenhuma prova em relação a essa questão do escândalo Cachoeira envolvendo a mim e ao meu governo”, disse ele.

“Ninguém foi mais investigado que eu. Pedi para ir à CPI, fiquei nove horas lá e dei todos os esclarecimentos. Todos meus sigilos foram quebrados e não há uma mácula em relação a esse episódio. Esse assunto está esgotado”, afirmou.

Sobre a CELG (Companhia Energética de Goiás), o candidato, que está negociando 51% das ações da empresa com a Eletrobrás, disse que “os goianos não vão perder” a companhia. “Ela terá a parte majoritária transferida para a Eletrobrás, que é uma empresa pública. O que nós vamos conseguir é mais dinheiro e mais eficiência. A concessão da Celg vence no ano que vem Se não fizéssemos o acordo, não teríamos a prorrogação por mais 30 anos”, afirmou.