Olê, olá

Marcelo Adnet entra na disputa de samba na São Clemente: ‘Era um sonho de criança’

O enredo que a agremiação da Zona Sul levará para a avenida em 2020 fala do conto do vigário


Agência O Globo
Agência O Globo
Do Agência O Globo | Em: 06/08/2019 às 17:56:57

Humorista Marcelo Adnet (Foto: Divulgação/Rede Globo)
Humorista Marcelo Adnet (Foto: Divulgação/Rede Globo)

A São Clemente dará o pontapé inicial na sua disputa de samba-enredo, na noite do próximo sábado, com uma novidade: a estreia do humorista Marcelo Adnet na parceria de uma das 16 composições concorrentes. O enredo que a agremiação da Zona Sul levará para a avenida em 2020 fala do conto do vigário, que teve origem em Ouro Preto, no século XVIII, a partir da trapaça de um religioso e chega até os dias atuais. Para Adnet, o tema é um prato cheio por reunir humor e crítica política, duas das principais características de seu trabalho na TV.Além disso, é a oportunidade de realizar um sonho antigo.

Era um sonho de criança. Uma das primeiras imitações que fiz, ainda como brincadeira, foi dos puxadores (de samba-enredo). Eu gostava de cantar, imitar a voz grossa deles. Depois me afastei um pouco desse universo. Há pouco tempo reencontrei uns amigos que estavam com vontade de compor para a São Clemente e achei ótimo por ser a escola da minha área, sou do Humaitá, e tenho bastante carinho pela escola. Ano passado teve uma reedição (E o samba sambou) e não deu para gente concorrer.E esse ano saiu o enredo, que por acaso tem humor e crítica, tudo a ver com a cara da escola.

Adnet assina a parceria com mais sete compositores. Segundo o humorista, música e letra são resultados de um trabalho conjunto onde todos opinaram. A composição atualiza a trama do conto do vigário e faz referências indiretas às denúncias sobre a presença de funcionários laranjas em gabinetes políticos, suspeita que recaiu sobre a família do presidente Bolsonaro, no verso “Tem laranja! Na minha mão, uma é três e três é dez”. Mas, o compostor de samba-enredo estreante garante que não foi ideia sua. Fazia parte da sinopse.

O samba fala do conto do vigário que nasceu em Ouro Preto, em Minas, numa paróquia numa disputa por uma santa em que um vigário enganou o outro. E a partir desse ponto a gente passa por D. João fugindo para o Rio de Janeiro e fundando a capital aqui e vai citando trambiques mais modernos, como passar terreno na lua, vender o bilhete premiado e o laranja tem a ver com o momento atual, mas sua figura já existe há décadas. É uma das instituições brasileiras e isso está na sinopse da escola. Não foi uma invenção nossa.
Marcelo Adnet

Marcelo Adnet (Foto: Divulgação/Globo)

Embora algumas pessoas possam ficar surpresas com a participação de Adnet como autor numa disputa de samba-enredo, sua origem familiar é bastante musical. O humorista é filho de Chico Adnet, conhecido compositor de jingles publicitários, que participa com ele do clipe oficial do samba em disputa. É também sobrinho das cantoras Maucha e Muiza e do violinista, compositor, arranjador e produtor, Mario Adnet. Além disso, desde sua estreia na TV, no programa “15 minutos”, da MTV, até o “Tá no Ar”, da TV Globo, fez várias paródias musicais, inclusive em ritmo de samba.

O humorista deve ser presença constante na quadra da escola, já que pretende participar ativamente da disputa, junto com os companheiros de parceira André Carvalho, Pedro Machado, Gustavo Albuquerque, Camilo Jorge, Luiz Carlos França e Raphael Candela. Adnet assume que tomou gosto pela coisa e não descarta estar surgindo aí uma carreira paralela como compositor de sambas-enredo.

Neste sábado, os 16 sambas serão apresentados pelas parcerias concorrentes. Nenhum será eliminado nessa etapa. Já na semana seguinte, a disputa será dividida por chaves. No dia 17, se apresentam os oito primeiros sambas. No dia 24, os demais entram na disputa. A São Clemente será a primeira escola a desfilar na segunda-feira de carnaval, pelo Grupo Especial.

Confira a letra do enredo da São Clemente:

O sino toca na capela e anuncia

Nossa senhora começou a confusão!

Quem vai ficar com a imagem de Maria?

O burro vai tomar a decisão

Mas o jogo estava armado

Era o Conto do Vigário

Nessa terra fértil de enredo

Se aprende desde cedo

Todo papo que se planta, dá

Dom João deu uma volta em Napoleão,

Fez da colônia dos malandros capital

Trambique – patrimônio nacional

Tem laranja!

“Na minha mão, uma é três e três é dez!”

É o bilhete premiado, vendido na rua

Malandro passando terreno na lua!

Hoje, o vigário de gravata

Abençoa a mamata,

Lobo em pele de cordeiro…

“Eu trago em três dias seu amor”

“La garantia soy yo!”

“Só trabalho com dinheiro”

Chamou o VAR, tá grampeado,

Vazou, deu sururu,

Tem marajá puxando férias em bangu!

Balança na rede

Abre a janela, aperta o coração

O filtro é a fantasia da beleza

Na virtual roleta da desilusão

Brasil, compartilhou, viralizou, nem viu!

E o país inteiro assim sambou

“Caiu na fake news!”

Meu povo chegou ôô!

 

*do Jornal Extra