TRANSPORTE COLETIVO

Manifestantes de Bonfinópolis fecham GO-010 e pedem melhorias no transporte

Rodovia GO-010, na saída da cidade, foi interditada e há congestionamento no local


Larissa Feitosa
Do Mais Goiás | Em: 06/01/2021 às 09:48:45

Protesto contra contra a falta de ônibus em circulação e a demora do tempo de espera entre as viagens, em Bonfinópolis (Foto: Reprodução)
Protesto contra contra a falta de ônibus em circulação e a demora do tempo de espera entre as viagens, em Bonfinópolis (Foto: Reprodução)

Usuários do transporte coletivo de Bonfinópolis interditaram, na manhã desta quarta-feira (6), a GO-010, rodovia localizada na saída da cidade, para pedir melhorias no serviço de transporte. Os manifestantes atearam fogo em pneus e impediram a passagem dos veículos pelo local, permitindo apenas a passagem de ambulâncias.

O grupo, composto por moradores de Bonfinópolis, protesta contra a falta de ônibus em circulação e a demora do tempo de espera entre as viagens. Com cartazes, uma das manifestantes questionavam onde estaria a prestação de serviço e pediam respeito por parte das autoridades.

A manifestação foi acompanhada pela Polícia Militar e, segundo os agentes, foi pacífica na maior parte do tempo. “Com a chegada da PM um homem começou a xingar as equipes e arremessou um pedaço de madeira, porém não foi possível fazer a prisão por ele ter entrado no meio da multidão”, detalhou a PM. Estima-se que 250 pessoas participam do ato.

De acordo com os policiais, a via ficou interditada das 06 às 08 horas da manhã, mas já foi liberada.

O que dizem as empresas

Questionada pela reportagem, a RedeMob Consórcio, disse em nota que as empresas concessionárias estão com dificuldades para realizarem a soltura completa da frota e para manterem a operação de todo o sistema devido a pandemia de covid-19. Segundo a empresa, a solução emergencial é cumprir o plano estabelecido pelo Estado para o enfrentamento de crise causada pelo vírus.

“A crise que assola o setor, que foi agravada com a pandemia, tem feito com que as empresas deixem de pagar fornecedores de insumos como óleo diesel, pneu e outros itens relacionados à frota.  Mesmo com todas essas dificuldades e um acúmulo de mais de R$75 milhões em déficit financeiro operacional somente nos 10 meses de pandemia, as concessionárias têm feito de tudo para manter o sistema em operação. 

Mas, neste momento, a solução emergencial para a crise instalada, é o cumprimento pelos municípios, do Plano Emergencial formulado pelo Estado de Goiás, que, inclusive, foi homologado parcialmente no processo judicial promovido pelo Ministério Público visando assegurar a manutenção da prestação do serviço de transporte público coletivo”.

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) afirmou ter acompanhado a manifestação e as reclamações dos usuários a respeito dos atrasos nas viagens. “Nos reunimos com representantes e determinamos que o planejamento para as viagens fosse retomado, sem prejuízo ao usuário, a partir de hoje à tarde nas linhas semiurbanas, garantindo retorno seguro ao passageiro”, disse em nota.