Já Liberada

Manifestantes bloqueiam a BR-153 em protesto contra medidas do governo para a Educação

O grupo, composto principalmente por professores, estudantes e técnico-administrativos da UFG e de institutos técnicos federais, protesta contra a PEC 241 e a reforma do Ensino Médio




Manifestantes contrários a medidas do governo Michel Temer para a educação fecharam a BR-153 na tarde desta terça-feira (18). O grupo, composto principalmente por professores, estudantes e técnico-administrativos da Universidade Federal de Goiás (UFG) e de institutos técnicos federais, pede a revogação da Medida Provisória (MP) que trata da reforma do Ensino Médio e a não implementação da Proposta de Emenda à Consituição (PEC) 241, que prevê o congelamento de investimentos sociais pelos próximos 20 anos.

O protesto teve início por volta das 16h na Praça Universitária. De lá, os manifestantes seguiram pela Avenida Anhanguera em direção à BR-153. No local foi ateado fogo em pneus para que a pista fosse bloqueada.

Segundo os manifestantes, há aproximadamente 1.000 pessoas no ato, muitas carregando cartazes e instrumentos musicais para protestar contra as medidas do governo federal. Policiais militares teriam obrigado o motorista do carro de som que acompanhava o grupo a deixar o local sob o risco de ser preso. A assessoria de imprensa da corporação, porém, não confirma a informação.

O professor universitário Flávio Sofiati, que concorreu à eleição para prefeito de Goiânia no primeiro turno deste ano pelo Psol, participa da manifestação e explica os motivos: “Nós estamos vivendo hoje em um regime de exceção. Temos um governo que foi colocado no poder por meio de um golpe e nós temos que ocupar as ruas para barrar essas medidas antipopulares que estão sendo propostas”, afirmou.

De acordo com ele, a PEC 241 surgiu como forma de favorecer determinados grupos econômicos do País e vai penalizar, sobretudo, os mais pobres. “Essa PEC é uma atrocidade ao povo brasileiro. O primeiro problema é considerar que dinheiro para Educação é gasto. Não é gasto, é investimento. Mas ele [Temer] diz que é gasto para fazer o que está fazendo”, pontuou.

A BR-153 foi liberada no início da noite pelos manifestantes, que agora seguem de volta para a Praça Universitária.