Briga

Major Araújo promete levar Santana Gomes à Justiça por questionar moralidade de sua aposentadoria

Militar se aposentou automaticamente ao ingressar em cargo eletivo, em 2009, e com soma de vencimentos recebe mais que Marconi ou Dilma





//

O deputado estadual Major Araújo promete levar à Justiça o deputado estadual Santana Gomes (PSL) por declarações feitas na tribuna da Assembleia Legislativa. Nesta quarta-feira (16/12), Santana afirmou que o peerrebista teria realizado “manobras” para garantir uma aposentadoria de R$ 38.855,64, acima dos salários do governador Marconi Perillo (R$ 25,05 mil) e da presidenta Dilma Rousseff (R$ 30.900,00).

Segundo Santana, Major Araújo aposentou-se em 2009, aos 49 anos de idade, ao assumir mandato como vereador na Câmara de Goiânia por três meses. À época, ele era suplente do Pastor Rusembergue, que se licenciou da Casa municipal.

Conforme dita a legislação, ao assumir um cargo eletivo um militar entra automaticamente para a reserva. Agora, Major Araújo recebe combinados o valor de sua aposentadoria, de R$ 13.803,64, e o de seu mandato de deputado, de R$ R$ 25.052,00.

Ao MAIS GOIÁS, o Major Araújo afirmou que sua aposentadoria foi legítima. “Eu levo uma vida muito transparente. Me aposentei de forma legal, da mesma forma que se deu com o Coronel Queiroz, o Coronel Silveira, o Capitão Wayne”, disse. “Lamento muito que estejam colocando as coisas dessa forma.”

Segundo ele, o fato de ter se aposentado tão cedo é considerado por ele uma desvantagem. “Eu poderia ter me aposentado com 30 anos de carreira, o que aconteceria neste ano, e minha aposentadoria seria maior. A candidatura é um sacrifício”, pontua.

Ele ainda cutucou a esposa do governador Marconi Perillo, Valéria Perillo, que teve a aposentadoria aprovada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-GO), com salário bruto de R$ 15.206,43 após 30 anos de serviço como servidora da Assembleia Legislativa. “ Não tenho vergonha de nada que fiz. Sempre fiz tudo de forma muito correta e sou, inclusive, concursado, ao contrário da primeira dama.”

Ele disse que já levou o caso ao advogado e afirmou que Santana deverá responder na Justiça pelas declarações. “Ele me acusou de fraude, e fraude é crime. Então ele vai responder por calúnia e injúria.”

Já Santa Gomes, no entanto, frisa que em nenhum momento utilizou o termo “fraude” ao se referir a essa situação. “O que eu disse foi que todo militar que assume um cargo eletivo entra automaticamente para a reserva. Ele não ganhou a eleição. Ele entrou para ficar três meses e se aposentou. Algum acordo para isso ele fez”, declarou.

Segundo Santana, esse tipo de situação, ainda que legal, “é imoral”. “Se ele tivesse ganho uma eleição seria normal. Mas não foi o que aconteceu. Ele precisa explicar para a sociedade que acordo foi esse que ele fez, que não foi republicano”, enfatizou.