Qualificação/Empregabilidade

Mais de 300 mil goianos terão de se qualificar até 2023 para atender demanda industrial

Maior demanda refere-se ao aperfeiçoamento de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (28%), está a capacitação de pessoas que precisam ingressar no mercado de trabalho (formação inicial)

Economia

Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 30/09/2019 às 12:37:55

Cerca de 322 mil trabalhadores de Goiás terão de se qualificar para atender demanda industrial até 2023. É isto que aponta o Mapa do Trabalho do Senai (Foto: Diego Padgurschi/Folhapress)
Cerca de 322 mil trabalhadores de Goiás terão de se qualificar para atender demanda industrial até 2023. É isto que aponta o Mapa do Trabalho do Senai (Foto: Diego Padgurschi/Folhapress)

Cerca de 322 mil trabalhadores de Goiás terão de se qualificar para atender demanda industrial do Estado até 2023. É isto que aponta o Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Áreas de maior demanda com formação técnica são energia e telecomunicações; metalmecânica; logística e transporte; e eletroeletrônica. No Ensino Superior áreas como gestão, informática e construção vão precisar qualificar profissionais.

Além das áreas mencionadas, as indústrias também terão que qualificar profissionais para atuarem com a confecções e vestuário, alimentação, laboratório industrial, bem como desenvolvimento de sistemas e aplicações.

Conforme o estudo, a maior demanda refere-se ao aperfeiçoamento de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (28%) está a capacitação de pessoas que precisam ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Neste grupo estão pessoas que devem ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentes e que se tornam disponíveis devido a aposentadoria de funcionários.

Além de subsidiar a oferta de cursos do Senai, o estudo pode apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado. “O profissional qualificado de acordo com a necessidade do mundo de trabalho tem mais chances de manter o emprego e também pode conseguir uma nova oportunidade mais facilmente quando as vagas forem oferecidas”, afirma o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi.

Mapa do Trabalho

O Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir de cenários que estimam o comportamento da economia brasileira e dos seus setores; projeta o impacto sobre o mercado de trabalho e estima a demanda por formação profissional industrial (formação inicial e continuada). As projeções e estimativas são desagregadas no campo geográfico, setorial e ocupacional, e servem como parâmetro para o planejamento da oferta de cursos do Senai.

Para Rafael Lucchesi, conhecer as necessidades do mercado é fundamental para o planejamento da oferta de formação profissional. “O Senai é referência em educação profissional porque está alinhado com as necessidades da indústria e mantém seus cursos atualizados com o que existe de mais avançado em termos de tecnologia”, explica.

Brasil

Em nível nacional, o estudo aponta que o país precisará qualificar 10,5 milhões de trabalhadores industriais até 2023 para suprir a demanda de profissões ligadas à tecnologia.

Segundo o levantamento, a maior parte desses 10,5 milhões de profissionais ligados à indústria precisará passar por cursos de reciclagem ou de aperfeiçoamento, tanto para dar conta da modernização de postos existentes como para repor vagas existentes de trabalhadores que se aposentarão ou se desligarão dos serviços. O estudo, no entanto, detectou o potencial de criação de 33.453 vagas relacionadas às mudanças tecnológicas.