Maguito Vilela deixa prefeitura de Aparecida e diz que vai se dedicar a carreira de advogado

Em solenidade de posse dos novos gestores, ex-prefeito anunciou o fim da carreira política




Na solenidade de posse do novo prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, e de 25 vereadores, neste domingo (1º) o ex-prefeito Maguito Vilela foi ovacionado pelo público em diversos momentos de seu discurso. Emocionado, ele iniciou suas palavras agradecendo a equipe de “homens e mulheres de muita força” que o ajudaram “a mudar a cara da cidade”, hoje com cerca de 550 mil habitantes, ao longo de sua gestão.

Maguito lembrou da rotina incansável de idas à Brasília (DF), em busca de recursos da União para manutenção de serviços básicos e construção de obras que não podiam mais esperar. Ele ainda aproveitou o momento para fazer uma breve prestação de contas à população: “Asfaltamos 115 bairros que possuíam as condições básicas para isso – água e esgoto. Construímos 29 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), 43 Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), computando os já entregues e os demais em obras, que serão inaugurados pelo Gustavo; construímos o Hospital Municipal de Aparecida; 34 ginásios esportivos que beneficiam não só os alunos da rede pública municipal de ensino, mas toda a comunidade; três escolas de tempo integral; construímos quatro eixos estruturantes; entre muitas outras obras pelas quais a população tanto ansiava”, enumerou.

A saúde financeira do município também foi tema do discurso: “Em 2009, o Fundo de Previdência dos Servidores de Aparecida (AparecidaPrev), contava com apenas R$ 20 milhões em caixa, que a médio prazo seriam insuficientes para cumprirmos nossas obrigações. Hoje temos R$ 210 milhões aplicados na Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Além disso, estamos deixando R$ 80 milhões em caixa, somando convênios e recursos próprios, para a gestão do próximo prefeito”, informou.

Maguito Vilela destacou o crescimento industrial de Aparecida, que saltou de 4,5 mil empresas e indústrias ativas em 2009 para 35 mil nos dias atuais. Um aumento que permitiu ao município triplicar a arrecadação, dobrar o Produto Interno Bruto (PIB) e também o número de agências bancárias, “além da geração de empregos, que impacta diretamente na economia de Aparecida”, avaliou.

Na Educação, Maguito mencionou o empenho de sua gestão para conquistar o campus da Universidade Federal de Goiás (UFG). “Nossa cidade foi contemplada e hoje contamos com quatro cursos na área de engenharia. Formaremos a primeira turma em março deste ano”. Os cursos de Medicina já iniciados pela UNIRV e Unifan, também foram lembrados. “Aparecida hoje é uma cidade universitária, temos o IFG, a UEG, em breve contaremos com a Uni Evangélica, que já está em construção”.

Expectativas

Ao falar de suas expectativas para a atuação do próximo prefeito de Aparecida, Maguito Vilela reforçou que o sucessor deve seguir o exemplo de unir forças em prol de mais recursos e projetos positivos para a cidade e afirmou que aposta no talento de Gustavo Mendanha. “Ele foi vereador por dois mandatos, foi meu secretário de Esportes, presidente da Câmara e em todas essas situações demonstrou capacidade. É um jovem centrado, inteligente, que fará uma gestão brilhante”, afirmou.

Entre os desafios que o novo gestor terá, Maguito destacou dois grandes projetos, iniciados em sua gestão, mas que ainda não foram implantados. “Precisamos garantir a implantação do CLIA – Complexo Logístico Alfandegário – criado a partir da parceria público privada firmada entre município, Estado e a iniciativa privada. Também é necessário dar continuidade ao projeto de desvio da BR-153, que será executado pelo Governo Federal, para que o município possa assumir o trecho atual da rodovia como avenida”, destacou.

Da pobreza ao desenvolvimento

Questionado durante entrevista coletiva sobre o motivo da emoção em vários momentos do seu discurso, Maguito disse que se lembrou do início de sua trajetória na cidade e de como sempre confiou que ela poderia sair da pobreza para se tornar uma potência.

“No início da minha vinda, a expectativa era muito grande, muitos líderes políticos diziam que eu estava ficando ‘doido’ de sair de uma vice-presidência do Banco do Brasil para vir me candidatar numa cidade de muitas demandas e pobreza. Aparecida era considerada dormitório, uma baixada fluminense. Nós enfrentamos tudo isso, procuramos unir a cidade, buscar parcerias com instituições financeiras, com a sociedade organizada e graças a Deus deu certo. A cidade experimentou um crescimento que ninguém imaginava, de 20%, nesses oito anos. Algo que nenhuma cidade brasileira conseguiu. Por isso a emoção de ter conduzido esse povo, com tanta dificuldade, mas que hoje tem um futuro pavimentado”, relembrou.

A expectativa agora é de que todo o trabalho de sua gestão seja continuado. “Gustavo e os vereadores tem a missão de continuar esse trabalho. Tornar a cidade mais geradora de empregos, universitária, industrializada, inteligente, de melhorar ainda mais a qualidade de vida do seu povo. É esse o meu objetivo agora, ver tudo isso consumado”, enfatizou.

Futuro

Sobre seu futuro político, Maguito também foi incisivo. “Eu já anunciei, estou deixando a vida pública, vou voltar às minhas atividades profissionais como advogado a partir do mês de fevereiro e, sem dúvida, não tenho pretensão nenhuma de disputar cargos públicos. Já disputei todos os cargos públicos, desde vereador a senador. Então já dei minha contribuição e quero possibilitar espaço político aos mais jovens”, informou.

Tópicos