Do Mais Goiás

Maguito Vilela atingiu metas de recuperação, diz comunicado

"Ele voltou a respirar de forma espontânea, após a retirada do bloqueador neuromuscular"

Maguito nível de oxigenação satisfatório; sedação ainda é leve
Maguito nível de oxigenação satisfatório; sedação ainda é leve

A assessoria do candidato à prefeitura de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), informou que o emedebista atingiu as metas de recuperação, segundo a equipe médica que acompanha o tratamento. “Ele voltou a respirar de forma espontânea, após a retirada do bloqueador neuromuscular, e já apresenta um nível de despertar quando estimulado.”

Ainda segundo a nota, o ex-governador continua recebendo ventilação mecânica invasiva e suas funções vitais estão preservadas.

Em relação a respiração espontânea e ventilação mecânica, o portal apurou que o candidato utilizava o bloqueador neuromuscular e esteve paralisava o pulmão para preservá-lo. Contudo, com a retirada, o órgão voltou a trabalhar, mas continua recebendo oxigênio por meio de um tubo para não forçar. Ou seja, a respiração é espontânea pela retirada do bloqueador.

O médico Marcelo Rabahi, que acompanha Maguito desde a internação em Goiânia, afirmou, em vídeo, que o candidato já apresenta “um nível de despertar” ao ser chamado.

Confira o comunicado na íntegra:

Quinta-feira, 05 de novembro de 2020 – 16h30

O quadro de saúde do candidato a prefeito de Goiânia pelo MDB, Maguito Vilela, de acordo com a equipe médica que acompanha seu tratamento, é satisfatório e as metas de recuperação têm sido atingidas. Ele voltou a respirar de forma espontânea, após a retirada do bloqueador neuromuscular, e já apresenta um nível de despertar quando estimulado. Maguito continua recebendo ventilação mecânica invasiva e suas funções vitais estão preservadas.

Maguito

O candidato ao paço municipal está internado desde às 22h de 28 de outubro em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele recebe tratamento para uma inflamação nos pulmões decorrente da covid-19.

No dia 31, a assessoria do candidato informou, por volta das 14h40, que o estado de saúde do emedebista se agravou e que ele precisou ser intubado. O paciente havia apresentado ligeira melhora no dia 30 de outubro, de acordo com boletim médico divulgado pela coordenação de campanha.