Infanticídio

Mãe é presa suspeita de matar a própria filha, em Piranhas

Segundo a Polícia Civil, a hipótese inicial é que a morte da criança tenha sido acidental. Mulher poderá ser liberada após pagar fiança de um salário mínimo


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 08/02/2019 às 11:02:47

Delegacia de Polícia Civil de Piranhas (Foto: Reprodução)
Delegacia de Polícia Civil de Piranhas (Foto: Reprodução)

Uma jovem de 23 anos foi presa, no fim da manhã desta quinta-feira (7), suspeita de matar a filha de um mês e meio, em Piranhas, a 322 quilômetros de Goiânia. Segundo a Polícia Civil (PC), a mãe teria dormido na mesma cama que a menina, quando acordou pela manhã, a criança estava fria e pálida. Caso será investigado pela Polícia Civil.

De acordo com a corporação, na noite de quarta-feira (6), J.L.S., de 23 anos, teria ido à casa de uma tia e ingerido bebida alcoólica no local. Ela teria ficado na casa da familiar até por volta de 2h. Em seguida, a jovem teria ido embora para casa carregando a bebê no colo.

A mulher disse à polícia que colocou a filha para dormir logo que chegou na residência. Depois trancou a casa e foi descansar ao lado da menina. Quando J.L.S., acordou, a bebê estava gelada e pálida. Ela tentou reanimar a criança, mas de nada adiantou.

Posteriormente, a moça pediu a um vizinho que a levasse a uma unidade de saúde para socorrer a filha. Ao chegar no hospital, a equipe médica constatou o óbito. Ao analisar o corpo, os médicos notaram vários ferimentos e sinais de esganadura. Sob a suspeita de infanticídio, a mulher foi presa pela polícia.

Um inquérito policial foi instaurado para investigar o caso. O delegado responsável pelo inquérito, Marlon Sousa, aguarda os laudos do Instituto Médico Legal (IML) para identificar a real causa da morte da bebê.

*Thaynara Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo