Murillo Soares
Do Mais Goiás

Luana Piovani: “Dado Dolabella enfiou a mão na minha cara e seis meses depois ganhou R$ 2 milhões”

Atriz comentou o caso de assédio envolvendo José Mayer em uma transmissão ao vivo no YouTube e discutiu sobre o machismo no Brasil

Utilizando seu canal no YouTube, a atriz Luana Piovani fez uma transmissão ao vivo na qual falou sobre o caso de assédio envolvendo o ator global José Mayer. “Olha, não é o primeiro (…) e com certeza não será o último assédio”, disse ela. Porém, ela ressaltou que, agora, o silêncio foi rompido e as pessoas podem ter mais consciência sobre o que acontece nos bastidores. “O que mais tem é assédio o tempo todo em ambiente de trabalho”, continuou.

Ela aproveitou o espaço para discutir o machismo no Brasil. Segundo Piovani, as pessoas não podem “eleger um Judas”, já que casos assim acontecem há muito tempo e essas mesmas pessoas tomaram como ídolos homens que já agrediram mulheres.  “Garrincha enchia Elza Soares de porrada e ele é lembrado como um herói aqui no Brasil. Kadu Moliterno, que já foi meu par romântico, bateu na esposa”, lembrou ela.

Luana relembrou também o caso do goleiro Bruno Fernandes, que foi preso, acusado de ter participado do sequestro e do assassinato da modelo Eliza Samudio. “Nem o corpo (dela) ele (o jogador) disse onde estava, e ele foi contratado”. Ela, então falou sobre sua experiência pessoal com agressão física. “Dado Dolabella enfiou a mão na minha cara (…) e seis meses depois ele ganhou R$ 2 milhões na Fazenda”, desabafou.

Segundo ela, a própria sociedade escolhe esta realidade, já que ninguém fala sobre o assunto e, quando falam, fingem que escutam. “Assédio, essas histórias machistas e misóginas, é o que a gente mais. tem. A gente precisa quebrar o silêncio, tomar as rédeas das nossas vidas pelas mãos em todas as empresas, em todos os lugares”, disse.