Negociação

Liverpool quer tornar Alisson o mais caro do mundo para curar maldição no gol

O jogador revelado pelo Internacional deve acertar nos próximos dias a ida para o clube britânico. O valores da negociação gira em torno de 70 milhões de euros (R$ 315 milhões), segundo o Guardian


FolhaPress
FolhaPress
Do FolhaPress | Em: 18/07/2018 às 10:12:09

(Foto: Reprodução CBF)
(Foto: Reprodução CBF)

Depois de participar como titular da seleção brasileira na Copa do Mundo da Rússia, Alisson se encontra próximo de alcançar um novo patamar na carreira. O jogador revelado pelo Internacional deve acertar nos próximos dias a ida para o Liverpool, que não mede esforços para torna-lo o goleiro mais caro do mundo a fim de curar uma “maldição” enfrentada nas últimas temporadas. O maior trauma do Liverpool está no gol. Desde a saída de Pepe Reina em 2013, o clube britânico insistiu em dois nomes que jamais convenceram. Primeiro foi Simon Mignolet, contratado como uma aposta após boas temporadas pelo Southampton. O belga acumulou falhas e perdeu a posição no início do ano para Loris Karius, que acabou como “vilão” com as falhas na final da Liga dos Campeões.

Os erros do goleiro alemão contra o Real Madrid colocaram em xeque uma das crenças de Jurgen Klopp. A pressão por um goleiro top se tornou insustentável, e o treinador alemão cedeu ao anterior discurso de confiança plena em Karius e Mignolet. O Liverpool trabalha para tornar o brasileiro de 25 anos o goleiro mais caro da história a fim de recuperar a confiança do passado em Reina. O veterano espanhol de 35 anos, hoje no Milan, atuou entre 2005 e 2013 com a camisa vermelha e fez história, ratificada esta pelo próprio clube inglês no site oficial. Em uma sessão de “jogadores especiais”, Reina é o último goleiro e classificado como um dos responsáveis por recolocar definitivamente o Liverpool como uma força na Inglaterra e no cenário europeu. Com Reina no gol, o time conquistou Copa da Inglaterra em 2006 e a Copa da Liga em 2012. Além disso, o espanhol comandou a defesa no vice-campeonato da Liga dos Campeões em 2007, dois anos após o histórico título em Istambul. Foram 394 partidas vestindo o uniforme vermelho.

“José Manuel Reina tornou-se um dos goleiros mais seguros do mundo e ajudou a transformar o Liverpool em uma força a ser considerada domesticamente e na Europa durante uma estadia estelar em Merseyside”, descreve brevemente o Liverpool ao abordar a carreira do goleiro campeão do mundo pela Espanha em 2010. Reina perdeu lugar justamente com a chegada de Mignolet, e o Liverpool ainda não encontrou alguém que possa entrar no hall de jogadores icônicos. São quase cinco anos de “maldição”, que a diretoria tenta curar com uma proposta nababesca para tirar Alisson da Roma. O nome do brasileiro se tornou quase uma referência para este mercado, ainda mais com o posto de titular absoluto da seleção na Rússia. Alisson chegou a ser ligado ao Real Madrid, mas o Liverpool decidiu acelerar a negociação para não desperdiçar um nome em alta e capaz de recuperar totalmente a confiança dos torcedores perdida neste período recente de Mignolet-Karius.

Por outro lado, Alisson, de atuação discreta na Copa do Mundo, pode alcançar um status ainda maior com a iminente transferência. Assim que confirmada a negociação em torno de 70 milhões de euros (R$ 315 milhões) -segundo o Guardian-, cenário para as próximas semanas em uma óptica pessimista, o jogador gaúcho vai superar ninguém menos que Gianluigi Buffon como o “número 1” mais caro. Em 2001, a Juventus pagou o valor de 51 milhões de euros ao Parma por um atleta que saiu do clube como lenda. Exemplo para Alisson, agora próximo de sacramentar a ida para o time mais vitorioso da Inglaterra no cenário europeu e de atuar no campeonato mais badalado da atualidade.