Celg

Linha de transmissão de energia elétrica de Itapaci a Barro Alto é inaugurada

Entrega da obra, que teve R$ 35 milhões de investimento, foi realizada pelo secretário de Meio Ambiente e Cidades, Vilmar Rocha, e pelo presidente da Celg GT, Fernando Navarrete




A linha de transmissão de energia elétrica com 69 quilômetros que liga a subestação de Itapaci à cidade de Barro Alto, na região do Vale do São Patrício, foi inaugurada na manhã desta terça-feira. Participaram da solenidade o secretário de Meio Ambiente e Cidades (Secima), Vilmar Rocha, representando o governador Marconi Perillo, e o presidente da Celg Geração & Transmissão – Celg GT –, Fernando Navarrete, além de diversos líderes políticos e empresariais de várias cidades da região.

Em parceria com Furnas, a Celg GT investiu R$ 35 milhões na expansão da rede. Segundo Vilmar Rocha, esse é um passo importante para os investidores, porque terão uma maior disponibilidade de energia, o que é vital para quem quer instalar um empreendimento na cidade ou em outro município da região.

O secretário lembrou que uma das reclamações mais comuns que chegam à Celg e à Secima é de apagões que ocorrem em várias regiões do Estado. As subestações, como esta de Itapaci, acredita, reduzem esse risco.

Vilmar Rocha voltou a falar da privatização da Celg Distribuição – Celg D – que desde fevereiro de 2012 é controlada pela Eletrobrás. “O governo está na expectativa de que até o mês que vem consigamos sacramentar a venda da Celg D. Quem arrematar a empresa terá que investir nos próximos três anos, mais de R$ 2 bilhões. Nós não tínhamos recursos para investir. Com a privatização e os investimentos previstos, vai melhor muito a distribuição de energia no Estado”, comentou.

Fernando Navarrete também acredita que toda a região sentirá no dia-a-dia a importância dessa extensão de 69 quilômetros de linha de transmissão inaugurada hoje: “Ela aumenta a confiabilidade na distribuição de energia elétrica. Os consumidores vão notar que os picos de tensão e os desligamentos vão diminuir”.

Ele citou a capacidade que as distribuidoras vão ter de entregar novas cargas: “Essa é uma região que está tolhida no seu desenvolvimento por falta dessa capacidade de nova carga de energia. A capacidade de atrair novas empresas volta para Itapaci e região”.