No Cidade Jardim

Líder do Comando Vermelho no Ceará é preso em Goiânia

Suspeita da polícia é que Vicente Antônio, que estava na Capital com a esposa e um comparsa, pretendia arrebanhar criminosos para a prática do “novo cangaço”




Informações levantadas por militares do Serviço de Inteligência (PM-2) levaram policiais do Giro a prender, em um hotel no Bairro Cidade Jardim, em Goiânia, um criminoso que é apontado como o líder do Comando Vermelho no Estado do Ceará. A suspeita é que ele teria vindo a Goiás a fim de recrutar comparsas para atacar bancos no interior na modalidade conhecida como “novo cangaço”.

Mais conhecido como “Peru”, Vicente Antônio de Freitas Filho de 30 anos, segundo a PM, estava hospedado com a esposa Jéssica Andrade da Silva, de 26 anos, e com Francisco José Costa Oliveira Filho, de 31, desde o último sábado (10) no Hotel Marajá. Quando localizado e preso por militares na tarde desta quinta-feira (15), Vicente, que estava com uma identidade falsa em nome de Carlos, não explicou o que teria vindo fazer na Capital.

A esposa dele, de acordo com a polícia, também estava com uma identidade com sobrenome falso. Junto com Francisco José, o casal teria vindo a Goiânia em um veículo Polo de cor prata que está com a situação normal, mas mesmo assim foi encaminhado para ser periciado.

Ao abordarem o trio, os policiais encontraram, no celular de Vicente, mensagens que mostram que ele fez transferências bancárias de alto valor nos últimos dias. A última delas, realizada na sexta-feira passada, soma R$ 42.650.

“Nós sabemos que o Vicente, que está foragido de uma cadeia no Ceará, lidera uma quadrilha que trafica drogas e rouba bancos e carros fortes pelo Brasil, daí nossa suspeita de que ele veio para Goiânia ou para comandar algum ataque no interior ou mesmo para arrebanhar criminosos para sua quadrilha”, destacou o Major Elder Joaquim, comandante do Giro.

No Ceará, segundo o oficial PM, Vicente, que é bastante temido, responde por tráfico de drogas, homicídios, roubo, receptação, falsidade ideológica e porte ilegal de arma de uso restrito. Devido à periculosidade, Vicente foi levado direto para o Núcleo de Custódia, presídio de segurança máxima do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Já Jéssica e Francisco foram encaminhados para a Central de Flagrantes.