Sustentabilidade

Lei permite a criação de Polo de Reciclagem no Aterro Sanitário de Goiânia

O espaço destinado à construção destas empresas é no entorno do Aterro Sanitário, localizado na GO-060, saída para Trindade


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 13/07/2018 às 17:40:00

Industrias poderão ser públicas e particulares e devem ocorrer em um raio de 500 metros ao redor do aterro (Foto: Divulgação)
Industrias poderão ser públicas e particulares e devem ocorrer em um raio de 500 metros ao redor do aterro (Foto: Divulgação)

Goiânia vai ganhar seu primeiro Polo Industrial do Ramo de Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil e de Lavanderias Industriais e Hospitalares. O espaço destinado à construção destas empresas é no entorno do Aterro Sanitário, localizado na GO-060, saída para Trindade. A criação do polo foi possível após a sanção da lei pelo prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), ocorrida nesta quinta-feira (12).

Segundo Henrique Alves, titular da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh), as empresas e indústrias poderão se instalar em um raio de 500 metros em torno do Aterro Sanitário. Ele destaca que o projeto também requer a proteção de uma área ambiental existente ao redor.

“Estamos pegando uma área que era inabitável e passamos a dar uma utilização benéfica a ela. As instalações dessas empresas ajudarão até mesmo na diminuição do lixo existente no lixão, já que será possível a reciclagem de boa parte dele”, explica.

Henrique destaca que no lugar poderão ser instaladas empresas públicas e privadas. O lote mínimo no local será de 450 metros quadrados e serão ofertados incentivos e todos os parâmetros necessários para a instalação do empreendimento. “As empresas que se interessarem deverão procurar a Seplanh e realizar um cadastro. Junto com isso, o alvará de uso do solo já será disponibilizado para que já possa investir no local”, conta.

A discussão do Polo vem se arrastando desde 2007 e ganhou um ponto final após a sanção da lei pelo prefeito. A instalação dessas fábricas de reciclagens, segundo o titular da pasta municipal, dará uma vida útil ainda maior para o Aterro.

Além disso, o polo é uma das etapas de recuperação do local, que passará também pela relocação da rede de alta tensão elétrica para o entorno, sobre o eixo do sistema viário. Essas ações permitirão a recuperação e a ampliação do aterro, o que garantirá a devida proteção do solo e das águas superficiais e subterrâneas.